terça-feira, 3 de julho de 2012

999 - prosa de rainha para urgências do querer


Conta a história que Domenico Scarlatti
escreveu 555 sonatas para sua amada
Maria Bárbara de Bragança, infanta que
ele cultuou e depois rainha de Espanha,
a quem tão servil, serviu-se.
Conta a outra lenda que da música não
sou Orpheu, mas cativo de sina e sílaba.
Assim evoco amada que o verbo galgou
alma e arrepio, dentre os mistérios sutis
de penumbra, alumbramento e sortilégio
que não se demora mais que uns versos
no ofício de ornar-te em poesia.

12 comentários:

Mirze Albuquerque disse...

Tão romântico!

Que tua amada, incorpore a musicalidade deste poema não orpheônico.

Ornar em poesia, é a maior honra.

Beijo

Mirze

Everson Russo disse...

E toda musa,,,toda amada merece canções de amor...abraços de bom dia.

Batom e poesias disse...

Então é assim....
O poeta está quase de saída...

Talvez partindo para mais mil versos ou prosas...
Quem há de saber por onde vagueia a alma de um poeta?

Assis, saiba, que esse blog foi um caminho maravilhoso que trilhei junto, a despeito da ausência de comentários.
Palavras as vezes são ineficazes.

Bjs
ross

dade amorim disse...

Romântica e bonita história.
Mas, e agora? Depois dessas duas que faltam, como vai ser?

Beijo, já com saudade.

Antônio LaCarne disse...

q belo poema! parabéns!

Daniela Delias disse...

Conta a história que o poetinha Assis Freitas escreveu 1001 poemas. Poemas para seus amigos, para suas musas, para sua amada. Conta a outra lenda que fez grandes amigos, que foi inspiração para todos aqueles que amanheciam em sua poesia.

Bjo, poeta querido.

Verso Aberto disse...

versos servos do amor que inspira

e eis que
em arautos finais de paixão
toda poesia fica toda prosa
rsrsrs

(num vai ter prorrogação... pênaltis ????)

evoé Assis
evoé

Vais disse...

Que a história, cante, conte, declame, sussurre, grite
prosas, poesias, cantigas, canções, contos, livros, sílabas, frases, versos, tudo
e assim o poeta para sua amada e todas as inspirações e os motivos

é um prazer aos olhos e aos sentidos

beijão, Assis

Adriana Godoy disse...

Assis, uma história bonita, como são bonitos seus 999 poemas. Beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

ornar-se em poesia! quanta plenitude Assis :)

beijo

AnaClarissa disse...

É, a urgência do amor traz destas entregas loucas... a alguém, uma ideia, uma emoção, um gesto.

1001 poemas que não acompanhei do princípio, mas que me fizeram, desde que conheci onde se lavravam, mover a alma...
Ai, contrai-se o coração, ao ver aproximar-se o fim...

Abraço, Assis, professor de poesia!

Jorge Pimenta disse...

a nuvem e os seus vestígios. como o homem: metade certeza metade e meia céu por cumprir. só não sei quanto vale a unidade...

abraço!