domingo, 15 de setembro de 2013

1001 + 78 - 1 decálogo/1 tábua/1 pedra

I
1 poema nasce
Assim na noite
1 poema cresce
Assim na noite
1 poema morre
Assim na noite

II
1 poema
1 equívoco
1 sonho
Assim na noite

III
1 poema
1 cigarro
1 abraço
Assim na noite

IV
1 poema
1 sede
1 esquecimento
Assim na noite

V
1 poema
1 flor
1 silêncio
Assim na noite

VI
1 poema
1 azar
1 ausência
Assim na noite

VII
1 poema
1 átimo
1 sopro
Assim na noite

VIII
1 poema
1 salto
1 precipício
Assim na noite

IX
1 poema
1 eu
1 nada
Assim na noite

X
1 Fim


8 comentários:

teca disse...

Genial, assim na noite...

Beijos.

Tania regina Contreiras disse...


Você é fantástico: reinventa-se sempre poeta e genial.

Beijos,

André Foltran disse...

1 poeta
Assim na noite

Adriana Riess Karnal disse...

ahhahha, não consegues largar este blog, nem deves, nem deves...

jorge pimenta disse...

dez notas para assomar perfeições. e o título: o início de tantos infinitos.

abraço!

Oria Allyahan disse...

Sopremos toda (a) noite!

Um abraço!

O.A

^^

Primeira Pessoa disse...

dez.
como a camisa de pelé.
mais um gol seu.

abs,

r.

Lídia Borges disse...


Um poema sempre no alto da noite, do dia...

Lindo!