segunda-feira, 29 de outubro de 2012

1001 + 19 - Poema para a combustão de asas


Não te quero falar de saudades.
Há o mar e nele o infindável:
Horizontes, velas, descobertas.
Será assim. Aprendi a inflar o
instante. A admitir o cotidiano
como passatempo. Repara que
os girassóis tardios se ruflam.
A carne urge recompensa. As
mãos exaustas pedem a sorte
de muitas vontades. O coração
é esta flecha atormentada. Mas
com a eterna missão de futuro:
de estrela a luzir alvíssaras. As
fotografias nada recordam. São
a estética fria do desenlace. Os
medos, as frias madrugadas, as
intermitências da febre. Todos
os perigos se foram. Este lento
amanhecer ilumina meu rosto:
beija-me a verdade desta hora.

12 comentários:

Primeira Pessoa disse...

alguma coisa acontece com o seu coração.

ave poesia!

beijão do seu broda, o

r.

Ribeiro Pedreira disse...

esse poema tem uma coisa que eleva a saudade, ainda que não fale dela!

salve, poeta!!!

Tania regina Contreiras disse...


Poema febril. Febris são teus poemas, diria. E sem febre, que é mesmo a vida?
Beijos,

R. Vieira disse...

leveza, eis a palavra que tenho. tratas de coisas densas com leveza!

Quase voei!
Uma boa semana!

Eurico disse...

A estrutura desse poema é admirável:
um enjambement de frases curtas,
que transbordam da linha, uma dizer espiralado e delírico.
Mas,
se não querias falar de saudade, e percorres todo o texto a fugir dessa palavra, seria a solidão a verdade escondida no último verso?
Seria... Poeta?

Abç fraterno.

dade amorim disse...

A estrutura de seus poemas é inteiramente original, Assis.
E Tania tem razão, concordo com ela.

Beijo beijo.

Adriana Godoy disse...

Assis, gostei tanto, tanto desse texto poético. Lindíssimo, de uma sensibilidade...de um amdurecimento! Talvez, dos sues, foi um que mais me tocou. Talvez seja o dia de hoje, não sei. Beijo

Lídia Borges disse...


Quase pele, quase água...

Um beijo

Lau Milesi disse...

Quando alguém beija a verdade,não há o porquê da fala.
As palavras são perfeitamente dispensáveis.
Lindo!,poeta Assis!
Parabéns!!

luana caroline disse...

oie!!!!!
amei seu blog
pode visitar o meu?
http://diariodeumpoema.blogspot.com.br/
obrigada

marlene edir severino disse...

Importa
a verdade

desta hora
agora

Existe mais que isto?

Abraço, poeta!

Lavínia Andrill disse...

Uma leveza transbordada em um suspiro mais profundo, assim são teus poemas para mim: leves, mas, que me fazem respirar... profundamente!