sexta-feira, 17 de agosto de 2012

1001+ 3 - Antipoema para brisa marinha, oboé e céu imenso


(á guisa de um metaplagio de Mallarmé)

Já me partem os raios
Eu me despedaço
No cerne da palavra
Meu verso é virgem
Aurora, estrela, solitude
Dói-me o vário, a onda
A embriaguez do nada
Agora respiro a canção
Sou teu branco anseio
O derradeiro silêncio

p.s. “a carne é triste, sim,
e eu li todos os livros”


*porque há o ubíquo e o similar

12 comentários:

Sueli Maia (Mai) disse...

Raios que me partam.
Fique!
Com poemas assim e os que estão por nascer, siga com 1001 infinitos.

cheiro

Sueli Maia (Mai) disse...

Ah!
e o "dói-me o vário" foi uma maravilha.
saio sem dor.
(rindo)

Joelma B. disse...

lírica de qualidade com bônus em forma de p.s e porquê...

beijinho, Assis!

Luiza Maciel Nogueira disse...

Maravilhoso Assis, adoro esses 1000 e tantos poemas!

beijos

AC disse...

Mergulho em pura poesia.

Abraço

Tania regina Contreiras disse...

Ah, você é mesmo fantástico...Eu queria que isso aqui fosse infinito e está sendo. Lendo o seu branco anseio, lembro das infinitas cores que têm os meus próprios anseios.

Beijos,querido.

Vais disse...

Ei, Assis,
o título é de ficar parada e só sentir
e para não ser somente
você traz os raios, a palavra, os versos, a aurora, a estrela, a onda, a embriaguez, a canção, o anseio e o derradeiro silêncio

e...
e...
e...

beijo

Bípede Falante disse...

A gente vai lendo, lendo, acaba sendo lida pelas páginas que recebem nossas mãos, acaba se transformando também em linha, em palavra, em fantasia.
Lindo poema, Assis.
Beijoss

Daniela Delias disse...

Esses "p.s" estão demais, demais!

A carne é triste, sim. E o poema belo que só ele.

Beijo!

migalhas disse...

ola , vi o seu comentário num outro blog e saí correndo para o seu blog, vendo seu magnifico espaço, adorei imenso, mas tenho um convite para fazer, se voce gostar de poesia venha visitar e dar a sua opinião aos meus poemas http://assombrado-mc.blogspot.com

Maria disse...

sua linguagem tá mais viva depois dos 1001, ou são meus olhos? rs. nossa, acabou cmg... pegou em cheio.
bjo.

ps. vc não conseguiu abandonar seu blog depois dos 1001 e eu, q tinha matado o meu, tive q fazer outro... não aguentei ficar mto tempo longe não.

Mirze Albuquerque disse...

DE++++++++++



Mallarmé é triste e acho que por isso o amo e me embriago em seus nadas que são tudo.

Beijo

Mirze