domingo, 5 de agosto de 2012

1001+1 - ensaio para o jardim dos versos que se bifurcam


a Jorge Luis Borges

que singular mistério terá sido este
cujo sonho é poço e pêndulo
laminas afiadas, tigres, labirintos

que estranha linhagem de chamas
são estes mapas, bússolas, rios
neste findar-se em lágrima e cristal

que rigorosa complexidade
terá traçado a linguagem, que
dela o acaso não pode prescindir

que infinito terá na areia e no livro
na catequese do espírito e da treva
neste duplo ausentar-se em sonho

que pródigo terá a sua Ítaca revisitada
os fios de Penélope a lhe dourarem
o semblante na confluência do ocaso

*porque este poema teria que estar aqui.

21 comentários:

Eurico disse...

E os versos, como os caminhos, se bifurcam, mil e uma vezes...

A ti e ao Borges, minha reverencia!

abç cordial

Lídia Borges disse...

"Os poetas, como os cegos podem ver no escuro"
Podem encontrar-se por aí, na subida a qualquer verso.

Um beijo

Sim, este fica muito bem aqui!

Gerana Damulakis disse...

Excelente, Assis! Aliás, seu livro - porque aqui há um livro inteiro - será muito aplaudido.
Não se esqueça de me convidar para o lançamento.

Por que você faz poema? disse...

Acho que esse 1001
ainda será 1001 e muitos.

Mirze Albuquerque disse...

Um questionamento de Mestre!

Bravo!

Beijo

Mirze

Bípede Falante disse...

Vivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!! :)

Bípede Falante disse...

que infinito terá aqui nesses mil e um que se desdobram em mais e mais e me trazem essa surpresa tão feliz?????

beijoss :)

Vinicius.C disse...

Olá amigo!

Já faz um tempinho desde minha última visita. Desejo um ótimo Domingo e espero vê-lo no Alma!

Lara Amaral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lara Amaral disse...

Que maravilha, Assis! Estes dias estava a ler contos de Borges, fez muito sentido para mim o seu poema.

Beijo.

Sueli Maia (Mai) disse...

Excelente!

Que tal 1001 e +
assim você segue versando, poemando, poetando, poetizando... escrevendo seus poemas sem fim.

cheiro

Angélica Lins disse...

Só me resta ficar em pé e aplaudir \o/

Beijo poeta!

Adriana Godoy disse...

Assis, arrasou nesse mais um! Beijo

Vais disse...

1001+1 que em cada verso
um brilho sem igual

belíssimo

beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

sempre MARAVILHOSA a tua poesia Assis!

grande beijo e meus parabéns pelos milhares de poemas bons demais

Daniela Delias disse...

Que poema mais lindo...

Bjo, poetinha dos 1002 :)

Anônimo disse...

Nice work, Thanks

AnaClarissa disse...

Homenagem mais que bem achada!
E... Assis, dá a esmolinha de mais uns poemas para estas almas sequiosas?

Beijinhos!

Tania regina Contreiras disse...

O bis, aquele "mais um, mais um!", que veio brilhantemente e eu não vi. belíssimo, Assis. Que tal mais outros aqui? rs
Beijos,

ediney disse...

" infinito terá na areia e no livro
na catequese do espírito e da treva
neste duplo ausentar-se em sonho"
perfeito

LauraAlberto disse...

só agora é que me apercebi do 1000+1, do 1000+2, do 1000+3...

ainda bem que deixei de dormir

beijo