quarta-feira, 29 de agosto de 2012

1001 + 6 - Ária para alísios inquietos e súbitos do orvalho


Simplesmente porque amo
Inauguro sabores em tua face
Desenho a chuva nas vidraças
Caminho lento no dorso do orbe
E minhas mãos respiram tua voz
A nuvem talha a curva da cintura
E o lábio cinge o engano do vento

Simplesmente porque amo
Faço festa no perfume da terra
Cultivo a oferenda breve de nadas
E a minha morada é desassossego
Simplesmente porque amo
Os olhos já não me pertencem
Desfolho em vão os gomos do tempo

11 comentários:

Joana Masen disse...

"... E a minha morada é desassossego
Simplesmente porque amo
Os olhos já não me pertencem..."

Lindo, como sempre!

Abs.

Eurico disse...

Esses alísios são do mês que mais gosto, Poeta. Agosto, augusto...

Que baita poema!
Esse só dá pra sentir a fruição.
Fico sem palavras!

Abç cordial.

Tania regina Contreiras disse...

Assis, suas musas são musíssimas...rs Tão maravilhosos poemas. Tão bom fazer festa no perfume da terra...

Beijos,

Primeira Pessoa disse...

zé de assis,
essa veia romântica te cai tão bem.
mando bem, mas você nao chega a ser um wando (no que sorri, matreiro, te vi abrindo uma gaveta cheínha de calcinhas de de fãs... rs)... e te vi abrindo um sorriso pra mim, também, parceiraço que é...

rapaz, gosto muito de te ler.
e gosto demais de você.

mas isso não te é novidade.

beijão do seu broda, o

roberto.

Lídia Borges disse...


Há uma notória facilidade em talhar a palavra ajustada ao molde da alma. Ou não?

Um beijo

Bípede Falante disse...

Assis, o amor quando é sincero, é um céu :)
Beijoss

Daniela Delias disse...

Tudo bem simples (como naquela musiquinha do Roupa Nova, nos esquisitos anos 80 rs...)

Faço festa pro teu poema :)

bjo

Mirze Albuquerque disse...

"Simplesmente o AMOR é TUDO!"

Beijo

Mirze

Adriana Godoy disse...

" os olhos já não me pertencem"
bonito.

aliás, o poema todo.

beijo

Vais disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vais disse...

Poxa, Assis, não rola de passar batido e não comentar sobre os títulos, este por exemplo
alísios inquietos
súbitos do orvalho
que coisa, Assis, que coisa

simplesmente porque amo
é isto mesmo
lindo, moço

grande abraço