sábado, 8 de setembro de 2012

1001 + 10 - ária de bem-querer para um inventário de seduções


ela falava do alimento de nossas línguas
os corpos em estágio de sedução
bailava os lilases em calcinha rendada
evocava as palavras mais belas em ebulição
éramos tão infinitos no nosso querer
no espaço indestrutível dos loucos abraços
ela falava do alimento de nossas línguas
eu mostrava as sementes do alumbramento
tudo crescia em vertigem no carinho de mãos
havia tanto de nós na pele de sutis extravios
que ficávamos nuvem em etérea suspensão
incandescentes na imersão de tantos líquidos

11 comentários:

Lídia Borges disse...


Só o tempo verbal me parece nostálgico. De resto tudo tão perfeito!

" Tudo crescia em vertigem no carinho das mãos" - Linda imagem.



Lídia

Verso Aberto disse...

a sedução é poesia
quando há tanto de amantes na pela

abração Assis

Andrea de Godoy Neto disse...

que lindeza ser nuvem em etérea suspensão :)

beijo

Tania regina Contreiras disse...

eu mostrava as sementes do alumbramento
tudo crescia em vertigem no carinho de mãos...

Que lindo, Assis!

Bípede Falante disse...

Levando em consideração o fato de que há muito troquei meu chão pelas formas do céu, tenho de dizer que flutuo sempre mais alto quando encontro uma nuvem esplendora de poesia.

beijoss :)

Catia Bosso disse...

Que belo!
Nunca saístes dos meus favoritos!

bjssss meussss

Catita

Adriana Godoy disse...

Assis, ainda bem que depois de mil e um vem mais. Bonito, muito bonito! Beijo

Joana Masen disse...

O bem querer que nos torna infinitos. Infinitos e imortais.
Bjo!

teca disse...

Vim aqui pra matar saudade do "mil e um" e me deparei com os complementos... os incrementos... cheios de sentimentos...

Encantada vou saindo deixando beijo carinhoso com um raminho de flores do campo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

e é infinda a tua poesia Assis

beijos

Cissa Romeu disse...

'Nuvem em etérea suspensão' que faca nenhuma consegue cortar, mas ainda alimenta.

Beijos, Assis, muito linda a tua Poesia e me toca bastante!