segunda-feira, 24 de junho de 2013

1001 + 75 - a primeira vez que estive em ti

ventou em moinhos o coração
fez calmaria e temporal
na mesma perdição
me perdi em tanta pele e mãos
a primeira vez que estive em ti
não cabia de soluços a solidão

13 comentários:

Bell R Santos disse...

Como pode ,palavras acarinhar agente dessa forma! Queria saber fazer esta brincadeira seria com as palavras. Acredito muito no poder delas , mesmo que escritas , cantadas, ate mesmo desenhadas . E só prestar atenção. Gosto do que fala comigo, me emociona ,me puxa, me bate. me acalma e assim que vejo a poesia, enfim uma boa leitura.que me leva a viajar , questionar."PALAVRA" ela sozinha já escreve uma poesia ,né poeta??

Wanderley Elian Lima disse...

O coração esta sujeito às variantes do amor.
Abraço

Adriana Godoy disse...

a primeira vez quase sempre é inesquecível. bonito, assis! beijo

Srta Butterfly disse...

Tu escreves... Eu leio e sinto...
Palavras que tocam, foi o que encontrei aqui... Lindo...

eurico portugal disse...

a primeira vez: do perecível ao imperecível em apenas um fragmento de palavra, morfema selvagem para dedos hábeis - a sentença é a que nos toca, nunca a que queremos.

abraço!

Cris de Souza disse...

A primeira vez que estive aqui eu me encantei pelo o que li.

Não é de hoje que te acompanho...

Outro beijo, mestre!

Cissa Romeu disse...

Estar em solidão compartilhada, é amor eterno e nada mais...

Beijos, poeta!

ana maria disse...

Bonito demais!

Poetas são assim.

O blog todo está lindo.

Abraços,

Linda Simões

Mulher na Polícia disse...

De solidão eu entendo.
: )

Arrego.

Lavínia Andrill disse...

Na perdição de mãos e peles,salvo-me. Bravo Poeta!

Lavínia Andrill disse...

Poeta Assis, esta semana criei um Blog. Resolvi publicar alguns devaneios meus. Não tenho a pretensão de ser poeta... talvez, um dia, evolua a tanto. Presaria muito, a tua opinião (sincera e fria, de MESTRE para aluna). Pode ser? Sendo, te espero por lá. Bj. na tua alma linda!


http://morfemasdeumanefelibata.blogspot.com.br/

André Foltran disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Foltran disse...

a primeira vez se perde, é sempre assim...
a primeira vez não cabe, é sempre assim...