terça-feira, 3 de novembro de 2009

22 - canção de enganar o vento

o teu corpo acena reentrancias
que empalidecem a alma ingenua
onde brotam designios e olores
que te deixam flor se tu fores

Um comentário:

Mai disse...

Então deixa ficar e florescer mesmo assim.

Não cansa ler ou sentir, mas vou ficando por aqui, vibrando que estejas bem e que sigas a fazer-nos bem ao som de tua poesia.

com admiração, mil e um cheiros.