segunda-feira, 4 de março de 2013

1001 + 50 - Ensaio sagaz para gumes delgados


Da faca em sol
Cortou-me
Na pele, o sal

Da lâmina em mar
Rasgou-me
Em fio, o vento

Ando pois vulnerável
Ulcerado na palavra
Atravessado de punhais

Do meu pálido tecido
De sílabas orvalhadas
Este incêndio de espadas

4 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Mesmo vulnerável, ainda lhe sobra inspiração para ditar versos dispersos.
Abraço

Adriana Godoy disse...

Que beleza, Assis, essa punhada poética!! Beijo

Tania regina Contreiras disse...


ulcerado na palavra....caramba!
beijos, poeta...

eurico portugal disse...

a úlcera da palavra sobre lâmina toda e meio corpo. há tanto no invólucro e na gema que nos rebatiza escravos do sangue.

abraço!