segunda-feira, 11 de março de 2013

1001 + 52 - Ensaio sobre a inveja dos pássaros


meu sonho era ser passarinho
não que eu quisesse voar
ou cantar bonito
a mim me bastaria
a suavidade de um pouso

8 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Completamente lindo.
Qualquer dia vou publicar no meu blog, com os devidos créditos. Posso?
abração

Lídia Borges disse...


Um pouso pode ser descanso dos pássaros, interdito aos homens, porém. Estes não abdicam do voo, mal pousam os cansaços.
Os pássaros sabem-no.

Um beijo

Tania regina Contreiras disse...


O pássaro-poeta conhece as delicadezas das asas.
Beijos,

Sandra Subtil disse...

Já és pássaro quando escreves coisas belas como esta.
Beijinho

ReltiH disse...

GRANDIOSO MENSAJE.
UN ABRAZO

Luiza Maciel Nogueira disse...

que lindeza poeta!

beijos

eurico portugal disse...

a suavidade de um poiso a abrir, em caleidoscópio, sobre os trilhos de um vendaval.

abraço, assis!

Andrea de Godoy Neto disse...

esse é de torar (como tu dizes :)

beijooo