quinta-feira, 22 de outubro de 2009

10 - sonata vespertina

a relva incandescente
floresceu nos lábios
e
em gozosos sabores
deitou-se em orgasmos

Um comentário:

Mai disse...

Relvazinha assanhada, rapá.
adoro teus issos de gozo da palavra.
cheiros de relva