domingo, 10 de junho de 2012

976 - Suíte para luzir reentrâncias e recantos


Havia os líquidos todos:
Alimentos fugazes do querer.

Teus desvãos, os desalinhos:
Alva, alba, níveo, lácteo.

A dissolução de nuas peles:
Tez, fluidez, placidez.

Havia os poros em suspiros:
Interstício para precipícios.

14 comentários:

Joelma B. disse...

mergulho no infinito da voz...

beijinho,mestre!

VILMA PIVA disse...

Belo, sensual, suspirante!
Parabéns por tão linda
poesia.beijos!

Everson Russo disse...

Um infinito de sentimentos que só a alma pode explicar...abraços de boa semana.

Juliana Lira disse...

Conhecendo esse blog. Encontrei 1001 poemas bem mágicos. 976 está chegando, hein? rs
Um poema cheio de paixao, calor e beleza.

Beijos

Lídia Borges disse...

Palavras cumplices! Umas para as outras, umas pelas outras na expressão do amor.


L.B.

Mirze Souza disse...

Um poema que antecede o tempo.


Beijo

Mirze

Tania regina Contreiras disse...

Poros suspirando: hum, saudades disso aqui!
Beijos, poeta!

Daniela Delias disse...

Ela, vista para o mar.
Ele, a via.

Bjo

Bípede Falante disse...

Na dissolução da pele que se diluam também os tabus.
Beijoss :)

ps. Tou ficando nervosa que o Mil e um está chegando!!!

dade amorim disse...

Precipícios nos poros e dissolução de peles nuas falam muito alto, Assis.

Beijo!

Luiza Maciel Nogueira disse...

suspiro...

beijo

LauraAlberto disse...

saber voar sobre os abismos
e descobrir

beijo

AnaClarissa disse...

Quantos segredos!

Beijo!

Cris de Souza disse...

" Havia mais que um desejo e a força do beijo já não sacia mais... "