sexta-feira, 15 de junho de 2012

981 - outra berceuse para o recôndito das ilhas


enquanto tu amanheces,
há um sol que paira
sobre minhas têmporas
e anuncia o arrebol
da tua chegada.

sou todo esperas
para as tuas vindas,
sou todo espelho
para teus sóis,
ancora desapegada
deste porto sem naus

17 comentários:

maria joao moreira disse...

... e que deliciosa é a ansiedade da espera que antecede o reencontro! Muito bom, parabéns!

Everson Russo disse...

E que essa espera...esse novo amanhecer seja enfim recompensado...abraços...

Ira Buscacio disse...

amanhecimento para coisas do amor
Divino!
bj imenso, Assis querido

Joelma B. disse...

pele serenada,mestre Assis!

Beijinho!

Leonardo B. disse...

[esse momento em que da madrugada se faz dia,

nascente, corpo da letra anunciada.]

um imenso abraço, Assis

Leonardo B.

Mirze Souza disse...

Bárbaro! A espera nunca acaba.

Beijo

Mirze

Adriana Godoy disse...

Fodástico, no bom sentido. Beijo

Sr.Borges disse...

a espera de que ancore esta melodia escaninha
sobre o sol
sobre as vindas
...

Abraços!

Daniela Delias disse...

Poema de amanhecer...

Bjo

Tania regina Contreiras disse...

Sou eu toda espera para os teus versos. Sempre.

Belo, poeta!
Beijos,

teca disse...

Sensivelmente apaixonado...

Bom fim de semana.
Beijo carinhoso.

Nanda Assis disse...

q lindo.

bjosss...

Jorge Pimenta disse...

toda a espera conhece portos e adivinha navios. só não sabe uma coisa: se navega as águas ou se são as águas que a navegam (ou atolam?).

abraço!

AnaClarissa disse...

E que maravilhosa é essa espera!

Abraço!

Vais disse...

as ilhas sem porto definido, por qualquer lado chega-se
muito linda a primeira estrofe

beijinho, Assis

Lídia Borges disse...

"sou todo esperas
para as tuas vindas,"

Maravilhoso!...

Lídia

LauraAlberto disse...

a espera na madrugada eterna

beijo