sábado, 23 de junho de 2012

989 - Suíte de inclinação ao branco da nuvem


O jasmim, o vestido, a escova de dente
o espelho, a água, o teto cor de fogo
o lençol, o pertencimento, a fugacidade
os lábios, as espáduas, o colo ingênuo
o branco na pele, a aura, o tecido da fala
a carne, o cardo, o tato, o cheiro inato
o beijo, o laço, nós: o vicejar do instante




*No Verso Aberto do Pizano Mil e muitos poemas

12 comentários:

AC disse...

Faltam 12 para o tal número mágico.
Que livrão sairá daqui, Assis!

Abraço

Joelma B. disse...

... e olhares cúmplices como cenário!

beijinho,mestre... bom fim de semana!

Mirze Albuquerque disse...

Santa Virgem!

Que poema mais lindo! Profundo, alvo, e com uma chama de queimar coraçoes de nuvens.

Beijo, POETA!

Mirze

AnaClarissa disse...

E quantos mundos no encontro dos corpos!
Abraço corpóreo de virtualidade!

Parole disse...

.... em fogo ascendente.

Seus poemas são demais...

Beijo.

Fred Caju disse...

Fiquei com O engenheiro do Cabral na cabeça. Vou reler, e abraço grande!

VILMA PIVA disse...

Lindo! Lindo!
O todo de dois seres marcado pelos detalhes daquele instante!
Demais!!

Beijos!

Daniela Delias disse...

As lembranças de um grande amor!

Bjo, poeta!

Everson Russo disse...

Tudo que envolve,,,tudo que lembra,,,tudo que toca faz o instante,,,abraços de bom domingo...

Cris de Souza disse...

Suíte de luxo!

LauraAlberto disse...

as palavras tão bem casadas

sensual

beijo

dade amorim disse...

E que instante!

beijo.