terça-feira, 12 de junho de 2012

978 - canção feérica de desordem dos hemisférios


ela vai saber que eu cheguei
quando vir o vento na retina
e constatar no lábio a fidalguia

será assim, não de outra maneira
eu estarei investido de presságio
como nuvem no céu desavisada

ela há de se imbuir das estações
e vicejar seu outono e seu inverno
para cumprir as intenções do verbo

16 comentários:

Everson Russo disse...

Com toda certeza esse vento trará notícias de longe,,,a volta do amor tanto esperado...abraços.

Lídia Borges disse...

Será assim, certamente, que as "intensões do vento" nunca ficaram por cumprir.

Um beijo

Sy disse...

Ufa, 978 né?
Não vejo a hora de acabar
ta chatinho isso aqui demais,
repetitivo que só...

Zélia Guardiano disse...

Nem será preciso primavera, verão... Todos verão!
Abraço, amigo Assis, grande poeta!

Anônimo disse...

Poeta baiano, sua poesia e unica, belissima...seja qual for a estacao, com ou sem ventos...
A desordem, no caso, se instalara sem a sua poesia.
Por favor, pense num "upgrade" desses mileum.

Deixo um beijo e meus cumprimentos.

(churchcrunch.wordpress.com)

Luiza Maciel Nogueira disse...

que lindo Assis, bons encontros para ti

um beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

ah e essa Sy é uma besta hein! por favor continue que eu amo tua poesia, venho aqui e me sinto um bocado mais feliz

beijo

Primeira Pessoa disse...

o poema chega, nuvem no céu desavisado.

e o poeta nos molha.

ô, tá me dando taquicardia.
faltam só 23.

Daniela Delias disse...

Um poema para todas as estações...

Bjo

Tania regina Contreiras disse...

Retinas ao balanço do vento: só tu, poeta! Amei!
Beijos

LauraAlberto disse...

tu poeta, és o senhor das estações

beijo

Anônimo disse...

As retinas dessa (e)leitor(a) azedo(a), um (a) imbecil indelicado (a), devem estar "tapadas". Deve ser um (a) mal resolvido (a), um (a) mal amado (a) . Nao ver beleza num poema como esse. E o pior: no Dia dos Namorados. Deve ser uma encalhada (o). eheheheehe...
Um abraco ,poeta .

Anônimo disse...

As retinas dessa (e)leitor(a) azedo(a), um (a) imbecil indelicado (a), devem estar "tapadas". Deve ser um (a) mal resolvido (a), um (a) mal amado (a) . Nao ver beleza num poema como esse. E o pior: no Dia dos Namorados. Deve ser uma encalhada (o). eheheheehe...
Um abraco ,poeta .

Mirze Souza disse...

Os hemisférios estão mesmo em desordem, ao contrário do rigor e ordem que vejo vicejar aqui.

Beijo

Mirze

Jorge Pimenta disse...

todo o verbo e suas tenções para as nossas tensões. mesmo iletrado, analfabeto, há conjugações que se nos impõem, porque fazem da pauta a pele.

abraço!

AnaClarissa disse...

Assis, quanta fidalguia em seus poemas!
Por isso faço minhas também as palavras do poeta Jorge Pimenta.

Abraço