sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

484 - suíte para desespero e astenia

todos os dias deito com a agonia da tua ausência
é como se estivesses pronta para partir
e cada reencontro fosse a celebração do adeus
tu não pareces querer e teu corpo também não
mas um gesto se veste de profunda inquietação
e as coisas estão a rostir, imolar, sangrar

19 comentários:

Everson Russo disse...

Essa ausencia que tanto perturba,,,e quer matar...abraços de bom final de semana.

Malu disse...

Assis,

"todos os dias deito com a agonia da tua ausência ..."

E como !


Bjo.

Cris de Souza disse...

um gesto faz a (in)diferença.

beijo!

Luiza Maciel Nogueira disse...

essa inquietação é que faz a vida girar - creio assim :), é o que faz as palavras, o poema, a arte, o gesto nascer

beijos

Tania regina Contreiras disse...

Cada encontro é também uma despedida, sempre, não é mesmo?
beijos,

Néia Lambert disse...

Um belo e romântico desespero!
Um abraço

Joana Masen disse...

Há dias, como hoje, que tua poesia me é como um espelho.
Bjo!

Jorge Pimenta disse...

quais os limites do desespero, poeta? e a espera, cabe na linha que se abre sob o olhar?
abraço!

Ingrid disse...

e a partida da o gosto e o tom do encontro?..
beijo.

Zélia Guardiano disse...

Ai, ver o poeta sempre em agonia: parece ser este, o gosto disfarçado da poesia...
Sádica!
Abraço, querido!

Mirze Souza disse...

ASSIS!


Desagradável percepção super apurada dos poetas!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Analuz disse...

Há sempre uma agonia em perder o que nunca nos pertenceu...

Beijinho de Luz...

Vais disse...

Assis, muito um tanto de coisas neste escrito
"e cada reencontro fosse a celebração do adeus"

o prazer e a dor

ausência que dá asas à imaginação de todo tipo

beijo

Bípede Falante disse...

da desolação à rotina e vice-versa, mas com tanta poesia...

Eder Asa disse...

Adoro esses seus "poemas camaleões", que cabem a qualquer eu-lírico ...

Abraço, poeta!

Lívia Azzi disse...

Já mergulhei até o limite, descobri coisas incríveis no abismo...

Beijo e um excelente final de semana!

Wanderley Elian Lima disse...

Torna-se uma angústia constante, a possibilidade da partida.
Abração

dani carrara disse...

esse adeus, no limite,
deve ser com a inspiração.

será que o ar entra no próximo instante?

mto bonito.

abs
dani

NãoSouEuéaOutra disse...

sentido!!! muito... o sossego demora... o mesmo veneno que fere é o mesmo que cura e é esta a ironia da agonia!