terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

481 - rapsódia de pretenso porvir

no tardio do mês determino obrigações
admito as intolerâncias que regem o dia
preparo-me de alfazemas para as penas
prometo alívio as palavras sem mistérios
concluo a rapsódia com uma nota esquiva
persigno-me em nome do verbo que atrofia

20 comentários:

Domingos Barroso disse...

e que o relicário
seja preenchido
todos os dias
por sobressaltos
...

Forte abraço,
irmão Assis.

Everson Russo disse...

Gostei do verbo que atrofia...um belo dia pra ti...abraços.

Euza disse...

preparar-se para o porvir, ainda que pretenso, ainda que com nota esquiva ou verbo que atrofia, é pra poucos. apenas para os profundamente poesia!
beijo pra ti, meu poeta!

ps. não sou poesia, só cometo poucos versos na sombra de vocês, os verdadeiros.

Batom e poesias disse...

Final de mês, é bom benzer-se mesmo.
Saudades.

bj
Rossana

Ingrid disse...

e são penas ou mistérios..mas com certeza as tuas palavras..
beijo querido Assis.

Zélia Guardiano disse...

Amigo Assis,

Fim de mês é tempo de persignar-se, mesmo!
E de recitar uma jaculatória...
Afff!
Mas , independentemente disso, lindíssimo os seu poema...
Como todos, sempre.
Abraço da
Zélia.

Mirze Souza disse...

ASSIS!

Esse final foi excelente!

Bravo!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Luiza Maciel Nogueira disse...

Maravilha Assis! Maravilha!

beijos

Tania regina Contreiras disse...

prometo alívio as palavras sem mistérios

Que beleza, que promessa, que poema! Assis é sempre Assis: o que dizer? Beleza, meu amigo!
beijos

Romeu disse...

Olá,

Curti o seu blog! Tenho um de poesias sobre mitologia. Dá uma visitinha!

http://olamentodeorfeu.blogspot.com

Abraços,

Romeu.

Jorge Pimenta disse...

e tudo caberá?...
abraço!

LauraAlberto disse...

será tudo, menos atrofiado!

Beijo

Laura

Lívia Azzi disse...

"Não disperdiçar a vida, que a morte é certa"

...

Abraço!

Lívia Azzi disse...

Aí, que transcrição fonética a minha!

Corrigindo:

DESPERDIÇAR

Solange disse...

raros são os que preparam-se de alfazemas...

que lindo !

beijo carinhoso

Analuz disse...

Jamais atrofiará, Assis...

Beijinho de Luz!

Ana SS disse...

Sr poeta, qual é esta palavra sem mistério? Revela-me...

Cris de Souza disse...

senti falta dos seus mil e um aromas...

" preparo-me de alfazemas para as penas. "

banho-me nesse lirismo!

beijo, poeta.

Wanderley Elian Lima disse...

Porque, ninguém é de ferro.
Abração

dade amorim disse...

Um bonito poema fechado a chave de ouro.

Beijo