sábado, 19 de fevereiro de 2011

499 - Poema para súbito concerto lúdico

Ela entrou com o silencio dos meus anseios
Desavisadamente pousou sílabas ao chão
Eu que recorro ao singelo para melopeias
Fiquei com a monalisa de saltos engasgada

12 comentários:

Everson Russo disse...

Posou silabas ao chão...intenso isso....abraços de sabado.

Tania regina Contreiras disse...

O título é mais um achado, Assis... E a monalisa de saltos, então???

Beijão,

Cris de Souza disse...

sinceramente, eu ri.

você é demais, assis!

beijos.

Jorge Pimenta disse...

é por isso que não se deve entrar sem antes se bater à porta :)
um abraço, poeta!

Mirze Souza disse...

ASSIS!

Só falta um para 500. Que tal 2001?

O silêncio dos anseios, arrasou o poema!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

José Vitor disse...

Olá! Espero encontrar-te bem!
Estive varias vezes no teu blog, depois tive que me ausentar.
Mas agradeço pela amizade que tens tido e pelas visitas e palavras gentis que tenho recebido.

abraços

Analuz disse...

Teus títulos são tão mágicos quanto teus versos... um poema entitulando outro...

Beijinho de Luz!

paliativo disse...

grite!

Fernand's disse...

B R A V O!!!

aqui as sílabas são raras e delicadamente posicionadas como pérolas.


adoro.
bjsmeus, querido

Ingrid disse...

entramos e saímos..deixando nossas marcas..
bejo querido Assis..

ErikaH Azzevedo disse...

Essa me lembrou o manoel de Barros,
graciosidade das palavras, escreveste como quem calmamente galopa....brincaste com as palavras.

bjinhos

Erikah

Rejane Martins disse...

Um concerto lúdico por mãos de café, mais pra bugre do que pra grego ou troiano - um concerto brasileiro.