quarta-feira, 17 de novembro de 2010

401 - Concerto de súbita despedida

Depois de mim ela se foi deitar com o imprevisivel
Que vinha repleto de estio em todos outros suores
Depois de mim ela se foi a apascentar suas nuvens
Orvalhando de sexo e jasmim a insone madrugada
Depois de mim ela se foi como as estrelas e as marés
Com súbitos brilhos e a sede de vagas que se estende
Como a plataforma sobre o nada a iluminar um vazio

22 comentários:

Everson Russo disse...

O sempre sedutor imprevisivel dos sentimentos...abraços de bom dia.

Bípede Falante disse...

Assis, orvalhar a madrugada de sexo é a imagem mais clara e precisa que já li do efeito que um homem pode ter sobre uma mulher. Amei :)
bjs

Dario B. disse...

Depois de mim, o dilúvio...

Zélia Guardiano disse...

...ela se foi apascentar suas nuvens...
Coisa mais linda, querido Assis!
Abraço

Jorge Pimenta disse...

o tempo não parou, depois de mim?!...
abraço, assis!

Cris de Souza disse...

súbito surto do adeus! nunca soube me despedir...

beijo, encantador.

Analuz disse...

... Eu fiquei te imaginando observando-a entregar-se ao que vem depois de ti...
Depois dela, continuas entregue a ela... Fascinante!

Abraço iluminado!

AC disse...

Depois de nós, o vazio, mas na perspectiva dos outros... quem sabe?

Abraço

Lau Milesi disse...

Sequencialmente lindo, poeta. Sempre depois... sinal de que o "mim" estará sempre em primeiro lugar.
...Depois de mim ela se foi como as estrelas e as marés...
Muito lindo!

Beijo, poeta maestro.

Marcantonio disse...

No após, os eflúvios apenas. Da eflorescência à defluência. Bonito demais!

(Rapaz, o seu comentário lá foi de arrasar! Que se chancele o verbo 'desver' se ele ainda não existe!)

Abração.

Ribeiro Pedreira disse...

"os dias na esperança de um só dia". de um dia que se foi com o sol da noite vazia...

Ingrid disse...

E em "súbita despedida" começamos um belo dia!.. sempre com tuas palavras..
beijo Assis.

Sandra Botelho disse...

Depois de mim ele dormiu com uma estrela, na manhã seguinte ela já não tinha brilho...
Bjos achocolatados

dade amorim disse...

E é por essa iluminação do vazio que vivemos.

Beijo.

Eder Asa disse...

O nada quando ilumina o vazio é belo feito o vácuo!
Rapaz, que saudade daqui, desse lirismo que se renova e se mantém.
Poesia tão essencial...

Wanderley Elian Lima disse...

"Depois de mim...", ela nunca mais foi a mesma.
Abração

Luiza Maciel Nogueira disse...

Belo, um vazio que se alumia...bjo

Lívia Azzi disse...

Suspirei!

Andrea de Godoy Neto disse...

uma despedida dita assim: "depois de mim" ilumina um vazio inteiro por onde se perdem as estrelas e vazam as marés...

belíssimo!
beijo com saudades imensas dos versos teus

Everson Russo disse...

Um belissimo dia pra ti amigo,,,abrçaos.

Mirze Souza disse...

Magnificat!

Iluminar vazios, é demais!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Gerana Damulakis disse...

É daqueles que assinalo: excelente!