quinta-feira, 18 de novembro de 2010

402 - poema para nuvem e casca de árvore

a espera do verso definha a palavra
que campeia o vento em redemoinho
como o louva-deus se anuncia lorde
a efêmera silhueta de mais uma morte

16 comentários:

Eurico disse...

Morte é Vida: louvo a Deus pela Palavra, pela Poesia, pelo Poeta!

Lídia Borges disse...

Assim é o poeta. Impaciente e devastador na apreciação de si mesmo!

Um beijo

Malu disse...

Assis ,

A poesia te habita ...


BjO.

Analuz disse...

Eu o chamaria de Poema de um fôlego só... e, depois da palavra morte, se aspira profundamente o ar...

Abraço iluminado!

Mirze Souza disse...

Assis!

O louva-deus,já é um canto lírico quando dentro de um poema.

Belíssimo cântico!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Ingrid disse...

Assis,
redemoinhos de belas nuvens.. tuas letras!..
sentia já falta de tua visita..
Beijo.

Lau Milesi disse...

Louva-Deus, seu talento, poeta Assis.

Eu acho o louva-deus bonitinho e é super amigo das plantações, pois ajuda a combater os insetos que infestam e destroem as plantas.


Beijo, poeta Assis.

Úrsula Avner disse...

Olá meu estimado poeta, seu lirismo está cada vez mais apurado. Lindos versos ! Um abraço.

Eder Asa disse...

Louva-deus é assim mesmo, lava as mãos à tudo e todos acham que somente entregou a deus.
Impagável, Assis!

Luiza Maciel Nogueira disse...

adoro a tua poesia! beijo

Jorge Pimenta disse...

analogia perfeita entre o processo criativo e a morte cínica do louva-a-deus.
materialmente verdade, poeticamente arrepiante. quem não sabe que a vida se constrói sobre deleites breves e mortes imensas... sempre no plural... como o louva-a-deus. e se as palavras não silvam no feminino?...
um abraço, poeta-amigo!

Everson Russo disse...

Que essa suposta nuvem de morte seja dissipada pelo vento...abraços de bom final de semana.

Gerana Damulakis disse...

Para cada palavra um destino; para algumas a vida no papel.

Mai disse...

É regar e regar a palavra e a poesia.

cheiros

dade amorim disse...

Algumas palavras se vão no redemoinho, mas as que ficam dão conta delas.

Beijo, poeta.

Lau Milesi disse...

Assis, esqueci de dizer que "louva-deus" me lembra helicóptero. Obrigada pela lembrança.
Beijo, poeta.