domingo, 21 de novembro de 2010

405 - elegia rude para cactos e punhais

já se foram os corcéis e os medos
em contínuas viagens de solidão
ouço procul harum, revisito poemas
na galeria de fotos inscrevi teu gesto
aquele derradeiro vindo do calcanhar
como flecha certeira em descaminho

se existem prelúdios intermináveis
ouso compor ainda o mais extenso
em que a rota no deserto se bifurque
entre casa cálida e avenida em verão
na seta dos girassóis mais intensos
avermelhados de todos os abóboras

percorri com dor margens dos rios
na maresia de crustáceo naufragado
fiz imagens de tolas reminiscências
habitei por instantes o aquário vazio
busquei o íntimo das águas e peixes
fui companheiro de algas e arrebóis

por isso te digo com calma e ternura
que não há ventania neste meu olhar
que não há desejo na pele que restou
apenas cumpro a sina do improvável
a terna rotina do peregrino da sombra
a esgrimir atônito com palavras e sons

17 comentários:

Everson Russo disse...

E vamos vivendo a dor do amor da vida tecendo versos plenos...abraços amigo,,,bom domingo.

Lau Milesi disse...

Poeta Assis, você é sensacional!! Que cois mais linda!! Benza Deus!!
Você é o nosso "Procol Harum 14024 " da poesia( mas astro, não asteróide) e com um excentricidade infinitamente maior. :)

Tudo é lindo, por isso não destaco nenhum verso.Continue "ad eternum" cansado de dançar, viu?

Muitos Bravooooooo pra você.Muuitos.
Beijo e bom domingo.
Lau




Ah... não sei se você já ouviu Shine On Brightly ou a A Whiter Shade of Pale.] D+, não perca.
Ah... 2 : lance seu livro de poesia, menino.

Malu disse...

Assis,

"por isso te digo com calma e ternura que não há ventania neste meu olhar"


Lindo !

BjO de Bom Domingo ... :)

Oria Allyahan disse...

Essa sua sina soa sempre com sinais de solidão... que odisséia... E as mesmas insistentes sensações!!

Genial, Assis, genial!!


^^

Fátima disse...

Oi Assis,

E assim segue a vida. Que poema lindo! Não só esse, mas outros tantos que li em tua página.
Belos poeta.

Visitando, seguindo...

Beijo., bom domingo.

Ribeiro Pedreira disse...

cada título é um poema e cada poema, um livro inteiro.
tua poesia salva, nobre Assis!

Abraço

Bípede Falante disse...

não há ventania no olhar, mas há um sopro sobre tantos sentimentos...

AC disse...

A serenidade resultante do percurso feito, mas ainda o apelo da descoberta...
Muito bom!

Abraço

líria porto disse...

um olhar sem ventania para os teus versos!
besos

Mirze Souza disse...

ASSIS!

Ser peregrino da sombra.... que dádiva!

Belíssimo!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Andrea de Godoy Neto disse...

Ali em cima o Dado disse "a tua poesia salva"
depois de ler isso, não achei nada melhor para te dizer, esse poema é flecha certeira.

Salve, Assis!
beijo

Anna Amorim disse...

Assis,

Complexa construção. É possível acompanhar o caminhar daquele que na busca se frustra, mas resta,na ternura ou na luta.
Um poema-história!


"por isso te digo com calma e ternura
que não há ventania neste meu olhar
que não há desejo na pele que restou
apenas cumpro a sina do improvável
a terna rotina do peregrino da sombra
a esgrimir atônito com palavras e sons"

Quero te dizer que teu espaço um lugar privilegiado para vir visitar. Por isso, compartilho com você o Prêmio Dardos que recebi de indicação. Basta ir na página do meu Blog e recebê-lo, é um sinal do meu reconhecimento. Espero
que goste desta singela homenagem.

Beijos,

Anna Amorim disse...

Assis,

Complexa construção. É possível acompanhar o caminhar daquele que na busca se frustra, mas resta,na ternura ou na luta.
Um poema-história!


"por isso te digo com calma e ternura
que não há ventania neste meu olhar
que não há desejo na pele que restou
apenas cumpro a sina do improvável
a terna rotina do peregrino da sombra
a esgrimir atônito com palavras e sons"

Quero te dizer que teu espaço um lugar privilegiado para vir visitar. Por isso, compartilho com você o Prêmio Dardos que recebi de indicação. Basta ir na página do meu Blog e recebê-lo, é um sinal do meu reconhecimento. Espero
que goste desta singela homenagem.

Beijos,

LauraAlberto disse...

de génio!
se hoje eu quisesse ler um poema, este era o que eu procurava, obrigada!
Beijo
Laura

Mai disse...

Você compõe melodiosos títulos ou melhor teus títulos são porta jóias poéticos. (coisa louca).
Caixas de guardar poesia e elegias. Coisa linda este poema.

beijo

Cris de Souza disse...

upaaaaaaaaaaa!

viajo nesses teus corcéis...

Lou Vilela disse...

Após essa elegia, gostava de ver os cactos brotarem sua flores de cores vivas.

Belíssimo!

Beijos