quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

784 - a poesia é o silencio engravidando sílabas V

guardo de ti uma ausência sem alvoroço
uns rabiscos no caderno de anotações
páginas marcadas de pessoa e bandeira
altercações de lilases, supercílios, lábios
o teu ventre que germina alumbramentos
e esta atônita ciranda que pulsa sem fim

20 comentários:

Bípede Falante disse...

Belíssimo. Erótico e melancólico.
beijos :)

Tania regina Contreiras disse...

Ventre germinando alumbramentos, ah! ...só tu! Gosto quando consigo te ler pela manhã, Assis, como agora. O dia, então, não será um dia qualquer.
Beijos, poeta!

Everson Russo disse...

Rabiscos guardados de vida,,,de amor...abraços de bom dia.

Celso Mendes disse...

isso é que eu chamo de germinar alumbramento e lirismo.

(um dia ainda altercarei com palavras aprendidas aqui...rs)

grande abraço.

Vais disse...

Ei, Assis,
este título é dos mais bonitos
e entre poesias cirandas silêncios engravidamentos sílabas lilases infinitudes de lábios e estrelas sertões e mandacarus alvoroços e duendes sorrateiros ausências e heliantos madrepérolas e madressilvas...
fico a germinar alumbramentos nestes 784 na estrada dos mileum

sempre um parabéns!

beijo

Anônimo disse...

Guardo de ti o delicioso sabor da tua poesia.

dos lilases.

Joelma Bittencourt disse...

Alumbramentos brotam aqui!

Beijinho de fã, poeta Assis!

Luiza Maciel Nogueira disse...

Maravilha Assis, maravilha!! Esse título, até já sonhei com ele.

Beijo

Lídia Borges disse...

Tesouros guardados a configurar a ausência que se instala no pulsar de um coração.

Beijo

Rejane Martins disse...

pessoa e bandeira, um dueto maiúsculo na memória de teus versos.

Ingrid disse...

preenches o silencio com maestria..
beijo.

Mai disse...

a gente lembra, a gente sempre lembra e isto é bárbaro: Amar em silêncio, guardar no silêncio a poesia.

cheiro

Nina Rizzi disse...

é.

dade amorim disse...

As sílabas são fecundas em teus poemas.

Beijo beijo.

Jorge Pimenta disse...

e quanto sobra do que se guarda?...

as páginas de pessoa e bandeira! lindo! eu acrescentaria uns quantos versos de al berto, sophia, júdice e herberto helder :)
abraço!

MIRZE disse...

Angustia:"e esta atônita ciranda que pulsa sem fim!

Beijo

teca disse...

Esse silêncio engravidando sílabas é arrasador!!!

Beijo grande, poeta.

Daniela Delias disse...

Ciranda, lilases, alvoroço, lábios, pessoa e bandeira, tudo em um só poema...um poema lindo, desses nascidos entre rabiscos que não apagam mais.
Bj!

Adri Aleixo disse...

O alvoroço que se faz no momento em que leio e que passa quando me sinto dentro do poema, entre os rabiscos.

Lindo demais!!! Beijo!

Anônimo disse...

http://br.ask.com/web?q=imagem%20de%20saudades&qsrc=999&l=sem&siteid=19884&ad=semA&an=google_s