segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

795 - poema das graças para as palavras que se elevam

ao brusco,
há o tosco,
ao imperfeito,
há o súbito,
ao espanto,
há o repentino,
ao inominado
há o silente,
ao gauche,
há o desmesurado,
ao incontido,
há o inacabado...

8 comentários:

MIRZE disse...

ASSIS!

QUE COISA LINDA!

Ainda bem que existe o súbito, para os imperfeitos, como eu.

Beijo

Mirze

Rejane Martins disse...

Gracias por habere em verbo combinação de pre posição com artigo definido; só o novo é indefinito.

Tania regina Contreiras disse...

Adorei, Assis...Parcerias existirão sempre.
Beijos,

Produção Sem Roteiro disse...

Muito interessante seu blog, gostei da forma como manuseia as palavras ! Ja to seguindo !

Abraço !

dade amorim disse...

Associações em que não se pensa habitualmente, mas se tocam e comunicam.
Beijo beijo, Assis.

Celso Mendes disse...

e ao poeta
há as palavras

(que se elevam e dançam)

abraço.

Jorge Pimenta disse...

dualidades diante de portas abertas: a tua escrita e a tua capacidade criativa e criadora.
abraço!

Ingrid disse...

sempre haverá tua palavra a semear criatividade e o sem fim..
beijos poeta..