sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

792 - quando a luz se desloca na velocidade da ausência

eu me havia mudo para ti
enroscado no silencio do olhar
tu me ias de folguedo e alegria
e os passos eram só distancias
um ruminar cheio de ausência

16 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

Assis, que tua musa continue te inspirando para nos presentear com mais poesia

beijo

Everson Russo disse...

E quando essa ausência se torna veloz, o mundo cai em desalinho...abraços de bom final de semana.

dani carrara disse...

adoro isso tudo que não entendo.
parece física, mas tudo parece, né.

é que tem palavras que lembram mais.

um beijão.

dade amorim disse...

Pede à luz que volte.
Beijo beijo.

Ira Buscacio disse...

Assis, que maravilha!!!!!
Algo que já vivi num tempo que já foi. Lembrei agora com arrepios.
bjão

Celso Mendes disse...

na ausência a luz anoitece na velocidade em que se esvaziam os olhos.

abraço

MIRZE disse...

Bárbaro!

O foco da luz rumina diante da " velocidade-luz" inalcançável!

Beijo

Mirze

Andrea de Godoy Neto disse...

e a velocidade da ausência é tão aquém de qualquer passo que se faça sustentável...

poema maravilhoso! mas o título é ainda mais

beijo, poeta!

F. Otavio M. Silva disse...

"um ruminar cheio de ausência" muito profundo, realismo e lirismo em um poema tão conciso. Parabéns.

F. Otávio M. Silva
http://otaviomsilva.blogspot.com

Vais disse...

Assis, quase que sempre ler você é como tomar uma nave com paredes invisíveis e as imagens, palavras e versos surgindo por todos os lados, por vezes altamente surreais, por vezes altamente realistas.

este título...
poema de sensações, sem palavras, enroscar como num casulo e os rojões explodindo em cores, uma estrada se afunilando ao horizonte e a face ao tempo.
Muito bonito

beijo

Jorge Pimenta disse...

a estética da ausência: plano de energia e morte. e o álcool permanece gelado nas veias.
abraço!

teca disse...

Ausência sempre presente...

Beijo.

Ingrid disse...

a ausência sempre sem luz..
beijos poeta

LauraAlberto disse...

a maior velocidade é a da luz: 300000000 m em um segundo

o sentimento de ausência deve de ser o que menor velocidade tem

Beijo
Laura Alberto

(desta vez não consegui esquecer a minha disciplina, a Física, descula)

Felicidade Clandestina disse...

doloroso - como certos silêncios.

http://consideracaodopoema.blogspot.com/

Nina Rizzi disse...

"isso, isso, isso."