quinta-feira, 3 de maio de 2012

938 - Ária em desconcerto de epifania, rito e passagem


A natureza da poesia é o espanto
Elevação de nuvens, suspiros
A inquietude dos girassóis

Águas que atiçam o desatino
Fervor de estrelas desfolhadas
Répteis em sorriso de jardim

A herança de breve eternidade
Crisálida do instante em desafio
A natureza da poesia é naufrágio

14 comentários:

Everson Russo disse...

A poesia tem a loucura,,,a alma do sonhar distante...abraços de bom dia\

Ira Buscacio disse...

Lugar-comum, mas tenho que dizer:
Tua tinta acelera todas estas imagens.
bj grande, Assis querido

Joelma B. disse...

a poesia é o espanto que põe a cor certa no olhar...

beijinho com admiração, mestre Assis!

dade amorim disse...

Naufrágio glorioso de estrelas desfolhadas.

Beijo beijo.

Adriana Karnal disse...

répteis, rsrsrs, lagartos sob o sol:assim a poesia passeia.

Tania regina Contreiras disse...

Acho que você decifrou, e é isso: a natureza da poesia é mesmo o espanto! Booooooommmmmm te ouvir!

Beijos,

Bípede Falante disse...

Ainda que me balance, aprecio o espanto!
Valorizo.
Admiro.
beijoss :)

Anônimo disse...

A natureza da poesia é mesmo o "espanto" e a nau é frágil.

Belo!

Beijo

teca disse...

Seus versos são sempre de dentro, pra fora vibra, com sintonia e reflexo.
"Crisálida do instante em desafio"

Pura arte!

Beijo grande.

Oria Allyahan disse...

Sabe, poeta, o tempo é cruel... ainda isso me aflige muito!

Nossa, lendo seu poema, senti-me uma Ismália: minh'alma subiu ao céu e meu corpo desceu ao mar.

Grande abraço!

O. A.

^^

Lídia Borges disse...

Não sei nada da natureza da poesia, sei apenas que ela está para além do real, que precisa de (in)verdades para ser verdadeira, que a exatidão é contrária à sua essência e que esta "ária em desconcerto de epifania, rito e passagem" é... Poesia inteira.

Obrigada.

L.B.

Daniela Delias disse...

Espanto e naufrágio...

Queria dizer mais, mas tô aqui no emaranhado da leitura, algo entre o espanto e o naufrágio.

beijo!

Ingrid disse...

a poesia é tudo.. eternidade.
e tão breve.
beijos perfumados..

Cris de Souza disse...

Eta lelê!!!