domingo, 20 de maio de 2012

955 - Canto para progressão infinitesimal


Intento o verbo único
O verso absoluto
Que mesmo vazio
Seja múltiplo

15 comentários:

Lídia Borges disse...

"O verso absoluto"
É a permanente busca do poeta. Ainda bem que nunca o encontra. Seria uma fonte que secou...


Um beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

vazio múltiplo! que ótimo Assis e cabe tanto onde está vazio...

beijos!

Verso Aberto disse...

certeiro

verso imenso no vácuo
nunca inócuo

abraços Assis

AC disse...

No intentar se desenham os mais belos poemas do Assis.

Abraço

Joelma B. disse...

verbo de pluralidade singular...

Beijinho, mestre!

Everson Russo disse...

Verso que sempre se multiplica em sentimentos...abraços...

Daniela Delias disse...

Tão lindos esses curtinhos...
Certeiros!
Bjo, bjo meu :)

Anônimo disse...

Que belezura de poema!!
Um canto"ad aeternum",poeta baiano.
Só o título já é um coral acompanhado da orquestra do Royal Concertgebouw de Amsterdam.☺

Um beijo e boa tarde.

(churchcrunch.wordpress.com)

Mirze Souza disse...

Infinitamente BELO!

O intenyo. o verbo gotejando no múltiplo vazio.

Beijo

Mirze

Ingrid disse...

e sempre nos toca muito..
beijo Assis..

Ribeiro Pedreira disse...

no oco o verso

LauraAlberto disse...

e tu, mesmo no vazio tudo fazes e crias

beijo

Dolce Vita disse...

Tão sintético, tão perfeito.

Jorge Pimenta disse...

verbo é verbo. jamais decomponível.

abraço!

Cris de Souza disse...

Ten-ta-ção!!!