quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

455 - samba perdido em pandeiro outonal


criei limo na ciranda dos pés
pisei perdido batucadas e jasmins
no couro da sede soou o pandeiro
agora resta a iluminação da varanda
teu sortilégio e outras notas e claves

21 comentários:

dani carrara disse...

que belo..

inda bem que fica naquilo que toca, nos pandeiros da vida, a lembrança do som..

um abraço.

Everson Russo disse...

E que sejam notas de amor sempre...abraços de bom dia.

Ingrid disse...

e seguimos em novos tons..
beijos.

Wilson Torres Nanini disse...

Da ciranda ao samba, sua poesia é toda um desengripante espontâneo.

Abraços!

Lau Milesi disse...

Sua poesia é um querer-dizer muito lindo. É diferente, poeta Assis. É uma espécie de "sortilegium".

Um beijo e meus parabéns, como sempre.

Luiza Maciel Nogueira disse...

música maestro que a poesia cá está fervilhando versos :)

beijos

Lídia Borges disse...

Tem um ar de festa. E as palavras um ritmo de bailarina negra.

Lindo!

Um beijo

Sandra Botelho disse...

E um amor que se fez festa...
Bjos achocolatados

Cris de Souza disse...

abro alas pro poeta cantar...

beijo!

Batom e poesias disse...

Recomece dançando um samba canção.
É um bom sortilégio.
bj

Rossana

Lívia Azzi disse...

Um samba é sempre bom, ainda que seja triste, é belo!

;-)

Beijos!

Lua Nova disse...

O que jaz na lembrança é o som da sede de ser amado... ao menos pra mim, Assis... será que não entendi nada? Queria muito essa resposta.

Querido, vc está outra vez no blog branco, honrando-me com seus versos.
Passe lá para ver.
Beijokas.

http://empoucaspalavrasalheias.blogspot.com/

Úrsula Avner disse...

Meu caro poeta e amigo, sua expressão poética é bela e singular... Amei o poema ! Grande abraço e um feliz 2011!

Mirze Souza disse...

Lindo ASSIS!

Teu sortilégio!!!!!


Maravilha!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

esse poema me lembrou velhice, passar do tempo

Malu disse...

Eis uma bela combinação .


Bjo.

Eder Asa disse...

O tempo bem bemol =)
Maravilha...

teca disse...

Um luxo só! Olha pra isso: "samba perdido em pandeiro outonal".

Só mesmo na sua língua!

Beijos, poeta.

Ah! Já está lá.
Obrigada de novo! :))

Í.ta** disse...

que primeiro verso mais impactante!

perfeito.

abraços.

Jorge Pimenta disse...

samba... com as notas do fado.
abraço!

Mai disse...

Êita sofreguidão da gôta!

adoro!