terça-feira, 25 de janeiro de 2011

474 - a quem se oferecer possa

ao menos convoco a legião de sombras para o baile
e assim rumamos noite e madrugada sem enleio
alimentando-nos de silhuetas

25 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

Opa, de sombras e fantasmas, entendo.

http://vemcaluisa.blogspot.com

Zélia Guardiano disse...

Ah, Assis, que imagem linda, surreal!
A dança dos espectros...
Abraço.

Cris de Souza disse...

já não temo fantasmas
invoco a todos
que venham em bando
povoar meus dias
atormentar minhas noites

entre tantos
loucos e livres
existe um
que é doce
e que me falta

(alice ruiz)

Cris de Souza disse...

bom diaaaaaaaaaaaaa!!!

Ingrid disse...

e que madrugadas... ;-)
beijo.

Por que você faz poema? disse...

Na dança das sombras...

Everson Russo disse...

Silhuetas suspeitas que nos perseguem...abraços de bom dia.

Jorge Pimenta disse...

ai, o fascínio da noite...
ai, a companhia dos espectros...
ai, a plácida solidão...
recordaste-me bocage e o seu locus horrendus:

Oh retrato da Morte, oh Noite amiga,
Por cuja escuridão suspiro há tanto!
Calada testemunha de meu pranto,
De meus desgostos secretária antiga!

Pois manda Amor que a ti somente os diga,
Dá-lhes pio agasalho no teu manto;
Ouve-os, como costumas, ouve, enquanto
Dorme a cruel, que a delirar me obriga.

E vós, oh cortesãos da escuridade,
Fantasmas vagos, mochos piadores,
Inimigos, como eu, da claridade!

Em bandos acudi aos meus clamores;
Quero a vossa medonha sociedade,
Quero fartar meu coração de horrores.

abraço!

Fred Caju disse...

Com quanto de solidão se faz uma sombra? E uma legião inteira?

Lívia Azzi disse...

Vamos bailar com a senhora das flores...

Beijinho!

Oria Allyahan disse...

Às vezes, lamentam o dia meus olhos, esperando ansiosamente a próxima valsa...

^^

Vanessa disse...

Estarei neste baile. Sou um fantasminha camarada que adora as coisas belas da vida e acho que esse baile será de "arromba"! Boa tarde Assis!

Lara Amaral disse...

Nossa, poeta, perfeito!

LauraAlberto disse...

raios:
fantasmas
sombras
escuridão

Não haverá por aí um pouco, mesmo pouco de luz?

beijo

Laura

Mirze Souza disse...

ASSIS!

Melhor que convoques, não invoques a legião. [de sombras]

Belíssimo!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

LauraAlberto disse...

não há quem mate estes fantasmas?

Tania regina Contreiras disse...

Um poema feito de contornos e replandecências, não obstante as sombras: belo, Assis!
beijos,

CÉU ROSÁRIO disse...

O Blog O TOQUE DE MIDAS

http://rosarinho12.blogspot.com/

deseja a todos os seus amigos
...
...uma semana Feliz!

Eder Asa disse...

Ironicamente vivo, o poema...

Sandra Botelho disse...

Siluetas a bailar a luz da lua...
Beijos achocolatados

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

legiões de sombras, gostei da imagem,

Lídia Borges disse...

Transparências nocturnas bailando. "ao menos"...


L.B.

Mai disse...

As vezes eles fazem a festa e nós - a insônia.

cheiros

Lou Vilela disse...

Fome intermitente...

cheiro

Bípede Falante disse...

A fome, às vezes, é mesmo de indefinições, ah, é!
beijos :)