quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

462 - sobre uns definitivos: plenamente

p/Lelena *

talvez seja esse redemoinho,
essa incessante partilha de sons,
esses frágeis caminhos,
essa sinuosidade de olhares,
quem sabe a dádiva de lábios,
esse estar em uma distancia alegre,
esse horizonte que é límpida perdição,
talvez sejam os eflúvios espumantes
ou espumas flutuantes

*poema a partir de um comentário em Definitivamentes no Bipede Falante

17 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

Fragéis e efêmeros caminhos.

Beijo.

teca disse...

Pelo visto a senha é mágica!

Beijos.

Tania regina Contreiras disse...

Um poema com as sinuosidades delicadas de Helena e a beleza de sempre dos poemas de Assis. Helena, ah...um poema só seu e do mestre Assis: isso não é bom demais?
Beijos

Everson Russo disse...

Que venha logo essa perdição dos versos e sentimentos...abraços de bom dia.

Maria Andrade disse...

levo-lhe, deixo-me. sem medo de mar.

Ingrid disse...

Assis,
definitivamente... perfeito.
beijo.

Wilson Torres Nanini disse...

Ou todas as rotas, ao mesmo tempo.

Abraço!

Fernand's disse...

definitivo? só o tempo que não espera. nós não somos. apenas estamos... provisórios aqui e ali.



um gde abç com admiração.

Analuz disse...

Quantos pedacinhos de nós deixamos por aí, nessas nossas andanças pelos cantos de alguém...

Beijinho de Luz, Assis...

Mirze Souza disse...

ASSIS!

Belíssimas pre-suposições sobre o "talvez".

Os caminhos são sempre frágeis"

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Bípede Falante disse...

Assis, em um dia como esse em que me sinto jururu em meio a tanta chuva e tantas tristezas, o seu poema acalma a minha inquietude, socorre as minhas lágrimas e coloca, nos meus ouvidos e no meu peito, o canto que me falta. Obrigada. Obrigada. Obrigada :)
Grande beijo.
Lelena
ps. Posso levar para a coluna lateral do meu blog???

MOISÉS POETA disse...

Do Comentário, Um Poema ...

E que Belo Poema !

Abraços !

Jorge Pimenta disse...

se não forem... saibamos que o foram enquanto neles acreditámos.
um abraço!

Lívia Azzi disse...

Tudo é intenso quando é pleno.

Um beijo!

Em@ disse...

o "talvez" engloba muita coisa, não é?

um abraço e votos de que 2011 se desenrole na medida dos seus desejos-porque tenho a certeza de que são desejos bons :D

Lau Milesi disse...

"Eflúvios espumantes" são como bolhinhas perfumadas...aquelas de sabão. Belíssimo, seu poema.
Beijossss

Marcantonio disse...

Eu sempre achei que uma boa parte dos seus comentários já são poemas.

Abraço.