sábado, 1 de janeiro de 2011

450 - Canção de mares e ventanias

Teus cabelos me querem explicar os ventos
Enquanto observo redemoinhos e paisagens
Sei que na noite farão luz em minhas mãos
Serão cristais ungidos por calor, sede e fome
Teus cabelos me querem explicar os ventos
Enquanto abraço o vício das tempestades

22 comentários:

Zélia Guardiano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zélia Guardiano disse...

Assis, meu querido
Isto, sim, é adentrar o Ano Novo com o pé direito!
Versos maravilhosos!
Presente de Ano Bom...
Deixo-lhe o meu primeiro abraço deste novo tempo, o primeiro de muitos que virão.

teca disse...

Um abraço caloroso pelo novo dia e novo ano que despontou!
Que os ventos carreguem amor e paz junto a você...

Fred Caju disse...

Belo poema, camarada!
Bons professores você encontrou para saber dos ventos.

Abraços.

Domingos Barroso disse...

A ventania e o silêncio
dos olhos do poeta
...

forte abraço,
camarada Assis.

Tania regina Contreiras disse...

Assis, querido, o ano novo começa com cabelos que querem ser tradutores da linguagem inefável dos ventos: eu poderia desejar horas que inauguram o ano mais prazerosas do que essa, que tenho agora te lendo?

Linda imagem...
Beijão,

Ira Buscacio disse...

2011 com belíssimo poema, meu caro poeta primoroso, Assis.
Que hj seja um dia lindo, o primeiro dia de um ano mt feliz. É o que te desejo.
Bjsssssss

Everson Russo disse...

Que esses cabelos se deixem afagar pelo vento como amor que sopra,,,obrigado meu amigo por caminharmos juntos em poesia, que nesse novo ano, estejamos lado a lado mais uma vez...abraços fraternos.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Hoje também deixei meus cabelos
serem afagados pelo vento.
É bom sentir o vento no rosto...
É bom viver.
Amigo, tudo será vivido entre
nós, amigos virtuais, mas bons
amigos.
Beijinho/Irene

Lau Milesi disse...

Poeta Assis, com duas dezenas e + 6 letrinhas do alfabeto você consegue nos dizer coisas inefáveis:
..."Teus cabelos me querem explicar os ventos
Sei que na noite farão luz em minhas mãos
Serão cristais ungidos por calor, sede e fome"... fala sério, nunca li nada tão poético.Feliz 2011(outra vez) :) Viva a presidente Dilma!!!!!

Beijo

Mirze Souza disse...

ASSIS!

Eu também quero abraçar o vício das tempestades!

BRILHANTE!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

dade amorim disse...

Cabelos a explicar os ventos, que delícia!
Saindo de férias, mas sempre que possível estarei aqui.
Beijo!

Oria Allyahan disse...

"Teus cabelos me querem explicar os ventos" muito lindo, Assim!

Bela forma de começar o ano... falando de amor!

Abraços!

^^

André HP disse...

Medusas de Seth, filho de Rá e Nut.

Forte Abraço!

Lívia Azzi disse...

Fiquei imaginado as madeixas e curiosa em ver o cabelo que inspirou poema tão belo!

Beijo!

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Assis,
O vício das tempestades, nem que seja em copo d'água ou vinho...
Mas sempre que venho aqui é um redemoinho, rapaz...

Abraço d'ano novo,
Ramúcio Pedro.

Lua Nova disse...

Conheço o vício das tempestades...

Assis, vc me encanta desde o ano passado!!! rs...
Que bom estar junto com vc desde o 1º dia deste novo ano.
Beijokas e meu carinho.

José Carlos Brandão disse...

Ventos, paisagens da noite, tempestades, sempre muita poesia.
Um 2011 assim com muita poesia.
Abraços.

Cris de Souza disse...

descabelar é comigo, mesmo!

Lara Amaral disse...

Praticamente um cafuné poético. Que delícia!

Beijo!

Bípede Falante disse...

Os poetas são mesmo muito sedutores :)
beijos.

Daniela Delias disse...

ah, que coisa bonita...