sábado, 8 de janeiro de 2011

457 - Poema para sobressalto e desalinho

Sob a espessa copa da manhã
Dançam impassíveis amândalas
Seduzem-se de areia e mistério

Eu assisto de fauteuil as ondas
Buscando o canto do merequém
E o repouso da alma em astélias

21 comentários:

AC disse...

O desejo de harmonia, a ligação com o envolvente, a percepção das coisas...
Sempre bem, Assis!

Abraço

Mirze Souza disse...

ASSIS!

Incomparável percepção: A paisagem, o "assistir", a dança, a busca e o repouso.

Sensacional!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Evandro Oliveira disse...

Olá,
Quero lhe convidar a visitar meu blog sabor da letra, e participar do SORTEIO de um livro que tenho certeza que você vai gostar.
Voltarei aqui mais vezes.

http://sabordaletra.blogspot.com/

Silviah Carvalho disse...

Lindo seu poema, parabéns.

Everson Russo disse...

Um desalinho de verso em amor...abraços de bom sabado.

Fred Caju disse...

Amândalas, fauteuil, merequém, astélias. E tudo em um único poema? Só Assim consegue!

André HP disse...

Mais que palavras, sofisticadas violinadas.

Abraço, poeta.

Pablo Rocha disse...

Forças que nos hipnotizam, Assis. sempre ótimos poemas!

Abraço!

Primeira Pessoa disse...

mais uma no cravo!
(ainda uso o ponto de exclamação).

e tive que ler o poema com um dicionário ao lado... rs

leitores sem "profundidade", esses de são raimundo...rs

abração,
r.

Jorge Pimenta disse...

quando te leio, poeta, desvio o olhar da margem do blogue por recear a chegada do milésimo primeiro...
um abraço com admiração!

nina rizzi disse...

estava com saudade de repousar, só isso. baixo os olhos e te elenizo.

e te beijo, claro.

Lara Amaral disse...

Isso que seus olhos assistem fica até melhor visto pelos nossos.

Beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

uma dança de areias desérticas ao final da tarde - perto das pirâmides (imagem que veio enquanto passeava pelo poema) Beijos!

Lau Milesi disse...

Poeta Assis, dá vontade de adentrar a tela e ficar te aplaudindo!. Que isso, que cenário lindo!!!. Continue a assistir. Interessante, há cenários que você poetiza que me são familiares.Mas esse é cinematográfico(embora nunca o tenha visto em filme algum). Esse seu poema é para ser lido na "fauteuil" do blue room da casa de Obama.:)D+!!! Benza Deus suas mãos e sua inspiração.

Se eu tivesse uma neta agora daria o nome de "amândala".

Um beijo e meus parabéns!!!Sempre.

teca disse...

Poeta, você envolve... e tem bossa. :)

Beijos ternos.

Mikaelly Andrade... disse...

Incrível como a leitura do seu poema me deu paz. As palavras tem esse poder de paz ou devastação...

Adorei o nome do blog e saber que você vai escrever 1001 poemas apartir de hoje lerei os sucedem depois desse maravilhoso canto de paz!!!

Visita o meu espaço, pode ser que você se sinta bem lá:
www.mikaelly-andrade.blogspot.com
Mikaelly Andrade.

Ingrid disse...

sempre tão bom estar por aqui..
beijos e bom final de semana..

Female disse...

De sobressalto, Female se extasia com teus escritos...Deixo beijos e tulipas!

Everson Russo disse...

Um bom domingo e uma bela semana pra ti amigo...abraços.

Cris de Souza disse...

ô voz requintada e envolvente...

Mai disse...

Muitas palavras...mastigo todas e engulo teu poema.

antropofagicamente -cheiro.