terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

852 - berceuse de invitação a pasárgada III

já passou e era só a brisa
crisálida do instante
asa de peixe sobre a terra
morada de fauno
coito assustado de libélula
urro de mar languescido
já passou e tanto que era

10 comentários:

Anônimo disse...

Assim são os bons momentos!

Belo!

Beijo

Mirze

Rejane Martins disse...

voo no acalanto à flor d'água, voga em asa de peixe sobrenada.

Rick" disse...

Bonito Moço. Bons poemas são os seus.
Tiver um tempo:
http://semguarda-chuvas.blogspot.com/

dani carrara disse...

"era uma vez...
...e tanto que era"

e viveram. the end. :)

um beijo

Tania regina Contreiras disse...

Que poesia cheia de arrepios, Assis!
Coito assustado de libélula ... eu adorei essa imagem.

Beijos,

Vais disse...

ainda um convite
e pelo tanto que foi é que vale tanto
ainda uma cantiga

beijinho, Assis

dade amorim disse...

É música, Assis.

Beijo beijo.

Lídia Borges disse...

Às vezes o espanto, a maravilha, e mais nada...

Um beijo

Iara Maria Carvalho disse...

poema bem costurado e lindo!

Jorge Pimenta disse...

"já passou e tanto que era"

talvez não passe...
talvez nunca deixe de ser...