quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

861 - auto de invocação para espinhos e saudades V


eu me ponho a mercê dos lábios teus
que ávidos sugam de súbito todo sal
desconcertam paisagem e geografias

dilaceram sentidos da palavra primeva
para instaurar rotas: hodiernas grafias

12 comentários:

Everson Russo disse...

Saudade realmente corta fundo na alma...abraços de bom dia.

Wilson Torres Nanini disse...

Travessia (im)pura!

Joelma B. disse...

tuas palavras são impressas com luva de pelica, mestre Assis!

Beijinho de quinta-feira... com admiração!

Insana disse...

doce, magico... amei


bjs insanos da Insana

Daniela Delias disse...

Tão lindo...
Assis, hoje estás mais perto do que nunca!
Bjos!

Lídia Borges disse...

Novos dizeres para velhos sentires.

Um beijo

LauraAlberto disse...

os sentimentos que (con)somem

beijinho
LauraAlberto

MIRZE disse...

"Hodiernas grafias"?

Maravilhoso!

Beijo

Mirze

M.C.L.M disse...

Este teu poema eu li como melodia,

"eu me ponho a mercê dos lábios teus
que ávidos sugam de súbito todo sal
desconcertam paisagem e geografias..."

Numa vitrola dos anos 60 alguém poderia suspirar de saudades n'estes versos...

Bj.

dade amorim disse...

Lábios poderosos demais.
Beijo, Assis.

Rejane Martins disse...

...brada o talento n'alma edulcorante, avante!

Jorge Pimenta disse...

mesmo em lábios recentes como o orvalho...

abraço!