terça-feira, 3 de abril de 2012

908 - Poema de sargaço para levitação de velas


No teu corpo me alumbra o desígnio
De te cumprir um fado em alvoroço
Soçobrar gestos na languidez da pele
Esculpir os olhos na maciez da língua

No teu corpo me alumbra o desígnio
De te cumprir em bulício de paixão
Arremessar velas para o teu refúgio
Na chuva e embriaguez das palavras

15 comentários:

Mirze Souza disse...

Belo, Assis!

Você já é escultor das palavras.

Beijo

Mirze

AC disse...

Um novo poema, dia após dia... e já vai em 908.
Impressionante, Assis, nem tenho palavras!

Deixo um abraço e a minha profunda admiração

Joelma B. disse...

escultura de sentidos... lindo, mestre Assis!

Beijinho com carinho de fã!

Everson Russo disse...

No teu corpo, mistérios a se descobrir e curvas a se derrapar...abraços de bom dia.

Mel disse...

Seu poema é lindo.Mágico!

Beijinhos.

Lara Amaral disse...

É um corpo em êxtase, só de lhe serem arremessadas essas palavras.

Beijo.

Daniela Delias disse...

"Vida, vento, vela, leva-me daqui..."

Bjo

dade amorim disse...

Incrível mesmo é o equilíbrio e a qualidade de teus poemas diários.

Beijo beijo.

Chellot disse...

Um fado cumprido com êxito. Poema embriagado de sentimentos.
Beijos doces.

"Life" disse...

Nunca li poesia tão especial.
Há algas que se desprendem dos rochedos e levitam (não à deriva) mas em direção programada,"estudada".

O poeta é especial mesmo,tem o (des) pudor de publicar um poema a cada dia como se fizesse amor.
Belíssimo, seu poema!!!
Um abraço.

Lídia Borges disse...

A música imanente do amor, soa belíssima.

Um beijo

Vais disse...

deixe que leve
levite à brisa velas
propósitos intenções
e cheguem veementes aos alumbramentos deslumbrados

beijo pra ti, Assis

Jorge Pimenta disse...

no teu corpo... todos os corpos e além-corpos.

Anna Amorim disse...

Assis,

Poética erótica de corpo e palavra.

Anna Amorim

Cris de Souza disse...

A pena tá pegando fogo, heim!