segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

105 - Poema de um torto despertar

ela não veio lamber os versos
e fazer alvorada nas palavras
elidiu-se

7 comentários:

nina rizzi disse...

o poema veio: torto;
ela não veio: tonta.

um beijo.

Mai disse...

Desarvorou-se - coisa de doidice, loucura ou louquice...Gosto desses teus mínimos-máximos.
São puro veneno. Abraço

Tahiane disse...

lamber os versos
versar os lábios...

bjo

[ rod ] ® disse...

perdeu-se na chance de ver suas histórias faladas, musicadas e amadas!

Lou Vilela disse...

Talvez todo o despertar seja torto... ;)

Bjs

Gerana Damulakis disse...

Eu tiraria o "torto" do despertar. Os versos estão ótimos. O "elidiu-se" chama por uma palavra vã.
Meu voo: o torto associou-se a Drummond, que chamou a palavra vã, também associada ao poeta....
Esqueça. Foi uma viagem. Bom sinal, poemas servem para isso mesmo.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"fazer alvorada nas palavras
elidiu-se " bela, bela imagem