quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

93 - poeminha desinteressante

desconhecido e trêmulo
ante o verso,
dou-lhe nome
batizo a esguia clave

percorro-a em caracteres
e busco a forma fugidia

dou-lhe a treva na página
e cravo obtusos olhos
para quem quiser decifrar

7 comentários:

Moacy Cirne disse...

decifrar
desarmar
descrever
escrever
escreviver
(como já dizia o poeta)

um abraço

Lou Vilela disse...

hummm... algo me pareceu familiar. rsrs

Você estrutura versos de forma singular, meu caro!


Bjs

Mai disse...

Eu leio...partitura, vademecum e ante o verso - o lado 'B'. E leio bula e vide a rima...Eu sinto o clima e a clave em cheiros de não decifrar...

P.S.
Há diminutivos que ensejam delicadeza e outros, tornam quase palpável a força inaudita, o desarvorar da ênfase nas luvas da elipse!
Abraço e sorriso
(incompreensivel, claro)
Te confessar: eu ri quando li o título

nina rizzi disse...

eu mordo...

J.F. de Souza disse...

Desinteressante?

líria porto disse...

repito a pergunta - desinteressante?

ah - não escrevo tanto assim - é que às vezes republico, reescrevo, corrijo coisas antigas...

besos

J. Araújo disse...

Como dá pra perceber aqui se respira poesia.

Abraço