terça-feira, 19 de janeiro de 2010

99 - madrigal uníssono

escuta a eternidade
que há neste vale:
a voz da folhagem
faz sussurro na
pele dos pássaros

8 comentários:

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Assis,
Acompanharei sua caminhada tenra e lenta rumo aos Mil e Um Poemas. Me será tarefa rica feito feita hoje.

Fã do seu afã,
Ramúcio.

Mai disse...

És delicado no toque, Assis. Este "99" é congruente, orgônico e, misericórdia! Imp..Imp...ressionante o que fizeste aqui.
Um Cheiro, poeta

nina rizzi disse...

uau, manoelando: estamos em sincronia :)demais, visse.

um cheiro.

Lara Amaral disse...

Enquanto isso, suspiramos ao observar.

Lindíssimo!

Beijo.

Lou Vilela disse...

ouço! é de uma beleza ímpar. ;)

Beijos

Nestor Aqueus disse...

Um poema em síntese preciosa. Parabéns e continue nos trazendo tuas palavras.

Um abraço,
Aqueus.

lírica disse...

Assis

Adorei este poema, é lindo!

Lírica

ErikaH Azzevedo disse...

Fizeste-me pensar em algo.

será que o outono existe pra nos indicar que a eternidade é breve? As folhas caindo..talvez eterno mesmo só a ciclidade das coisas e tb o sentimento de renovação.

bjos

Erikah