terça-feira, 26 de janeiro de 2010

106 - epigrama em azul

Sobre a vitrola paira um verso de amor
Reside excitante em mim como rodopio
Resiste em falsear vozes, a embriagar
Para pedir abrigo entre velas e abraços

Sobre o verso de amor pairam os olhos
Sutis, que invocam pessoa e presença
Como o caminho cheio de madrugadas
E o úmido tremor das flores orvalhadas

8 comentários:

Mai disse...

Leve toque, fina estampa. Melodia sutil. Degusto, me gusta essa alma de pura poesia. Abraços, poeta!

Analuka disse...

Delicioso poema, com frescor de mar e flores azuis!!! Permitirias que eu publicasse este lindo "epigrama azul" lá em meu blog? Aguardarei resposta. Abraços alados!

Gerana Damulakis disse...

"Sobre a vitrola paira um verso de amor": me encantou.

Nestor Aqueus disse...

Fico impressionado com a qualidade dos teus poemas. Estão cada vez melhores. Parabéns!

Um abraço,
Aqueus.

nina rizzi disse...

porque vc sem-pre fica falando essas naturezas que eu quero?

hm...
um cheiro.

J.F. de Souza disse...

azul.
da cor do céu
da cor do mar...
da cor da distância
e das lágrimas

J.F. de Souza disse...

Desculpe o tempo sem passar aqui... Devia retribuir tuas visitas mais vezes, meu caro. Preciso ver uns 10 poemas, pelo menos, dessa sequência aê... =P

1[]!

Murilo Rafael disse...

Belo e bem trabalhado! Como sempre.

Abraços,
mR.