domingo, 10 de janeiro de 2010

90 - poema de vaga intensidade

desde que apareceste
no meu caminho
destilo inconstâncias
e afagos transitórios
e percebo sem temor
a caridade das formigas

5 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Ótimo.

nina rizzi disse...

vaga? isso é de tudos intensidade, moço. que coisa mias linda, as formigas, o caminho, a poesia...

cheiro.

blog espiatório disse...

esse eu queria ter escrito!
besos
líria

Mai disse...

Vagas tu, vagamos nós.
E foi doce ler. Chegou formigar...(risos)
.
.
.
.
.
..........cheiro.........

J.F. de Souza disse...

vaga leveza