sábado, 7 de janeiro de 2012

821 - contraponto para inexistência, achados e afins X

foi de sentir a contemplação dos pássaros
que me pus a engendrar súbitos e impulsos
a ler na desmedida das horas os desígnios
a buscar na palavra uma gênese de nuvem

*
O poeta Jorge Pimenta me ungiu de maravilhas aqui

10 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Ah, os pássaros, esses mestres, Assis... Eles não semeiam nem colhem.
Lindíssimos versos, amigo, grande poeta!
Abraço bem forte

MIRZE disse...

Nada mais profundo que a contemplação dos pássaros!

LINDO!

Beijo

Mirze

Celso Mendes disse...

quem busca a gênese de nuvem, busca leveza, sublimação e a purificadora umidade do branco.

abraço.

teca disse...

Um delírio essa série de contrapontos...

Um beijo carinhoso, poeta.

Eurico disse...

Decerto paira, a Palavra, essa em que engendras a súbita Poesia.

Abraço fraternal.

Vais disse...

este X é dos que mais tocam

e parabéns aos poetas!

beijo

Ingrid disse...

querido Assis,
saudades de ti e de estar por aqui..
que linda homenagem te prestou o Jorge...
volto e me sinto novamente e sentir tuas palavras..
beijos perfumados e um lindo 2012..

F. Otavio M. Silva disse...

são muitas informações para pouco textro, concisão perfeita, conciso e profundo. A contemplação dos pássaros, engendrando súbitos impulsos, a buscar na palavra uma gênese de nuvem. confesso que reli algumas vezes para entender sua essencia. Vou pesquisar mais sobre Jorge Pimenta, com certeza.

Forte abraço,
F. Otávio M. Silva
http://www.surfistadebanzeiro.com/

Jorge Pimenta disse...

válvulas voos e rotas repentinas em torno da nuvem genesíaca. só a palavra arranca língua e soluço.
abraço!

dade amorim disse...

Maravilhas merecidíssimas, poeta.

Beijo beijo.