quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

826 - suíte burlesca para o repentino dos olhos II

as minhas mãos gravaram um pôr-do-sol
bem no caminho das falanges
ficam-me assim de arrepio as unhas
a crescer desmedidas de horizontes

14 comentários:

Everson Russo disse...

Horizontes de infinitos sentimentos...abraços de bom dia pra ti amigo.

Ira Buscacio disse...

Assis, suíte de todo deleite. Completamente encanta por este 826.
bj grande

Joelma B. disse...

Belíssimo, Assis!

Beijinho carinhoso!

Tania regina Contreiras disse...

Lindo, lindo, Assis!

Beijos,

Celso Mendes disse...

Maravilha! Há força poética imensa nessa imagem.

abraço

dade amorim disse...

Mais criativo, quase impossível.

Beijo beijo.

Sr.Borges disse...

Demasia para um imageado "abstrato"... Ainda assim filamentos na escrita automática.

Bípede Falante disse...

que bonito ter mãos que gravam, Assis :)
beijoss

AC disse...

Deleito-me com as suas palavras, Assis.

Abraço

Jorge Pimenta disse...

mãos-astrolábio as tuas, amigo assis.
e os horizontes entumecem na justa medida de cada sonho apascentado.
abraço!

Ingrid disse...

vislumbre de dias e noites em tua mão..
beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

horizontes crescem nos olhos, como tua poesia cresce por aqui. sempre bela! beijo

Cris de Souza disse...

muito, muito, muito bonito!

Rejane Martins disse...

...ao toque de arrebentação em cerne simples, há um voo de peixe lhano.