terça-feira, 24 de janeiro de 2012

838 - sonata devoluta para resquício da alba IV

estavas instável como as nuvens
incerta como os raios
movediça como areia no deserto

13 comentários:

Angélica Lins disse...

Lembrou-me da busca....

Na busca me sinto assim: instável, incerta, movediça.
Já no encontro...Ahh no encontro! tudo é tão sereno.


Sempre profunda tuas palavras. Sempre me encontro aqui.

Everson Russo disse...

Ou seja,,,ao seu modo estavas um perigo latente...abraços de bom dia.

MIRZE disse...

ASSIS!

Como sabes tanto da alma feminina?

Beijo

Mirze

Tania regina Contreiras disse...

...e era eu. E eram elas. E somos nós. Um poema-espelho tão breve e tão belo!
Beijos, querido!

Joelma B. disse...

Beijinho com admiração perene, Poeta Assis!

dani carrara disse...

instava, ainda

Andrea de Godoy Neto disse...

perfeito!

movediços somos todos...

beijo.

dade amorim disse...

Uma série que é como uma descoberta.
Beijo beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Assis você é um exelente leitor do estado natural feminino :), beijo.

Bípede Falante disse...

estava como a vida pede, como a vida sente e como a vida recebe!
Adorei :)
beijoss

Jorge Pimenta disse...

"estavas instável como as nuvens
incerta como os raios
movediça como areia no deserto"

diante disto, como ser pedra, afinal?

Cris de Souza disse...

alba é das nossas!

LauraAlberto disse...

a estabilidade da palavra

abraço
LauraAlberto