domingo, 15 de janeiro de 2012

829 - suíte burlesca para o repentino dos olhos V

auroras e curumins apaziguam dores
sopram amanhecimento suas hordas
assim como um repasto de girassóis
ou súbito declive no arroio do olhar

15 comentários:

AC disse...

Olhos inundados de cor...

Abraço

(Assis, perdoe-me a ignorância: que são curumins?)

Tania regina Contreiras disse...

829º poema! E viva os curumins e os girassóis!!! :-)

Beijos, menino!

Rejane Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rejane Martins disse...

Eis um singular olhar menino, a teu mérito.

Everson Russo disse...

Olhar que se mistura com a cor do mundo...abraços de bom domingo.

Eurico disse...

A palavra amanhece, renova-se, refloresce...
Eterna criança, a palavra.

Abç fraterno

Joelma B. disse...

Outro alumbramento!

Belo domingo, Poeta Assis!

Celso Mendes disse...

para repentino dos olhos e espanto de todos os sentidos...

abraço.

AC disse...

Recebi, lá no sítio, a elucidação acerca do significado de curumim. Grato.

Abraço

Sr.Borges disse...

...até esquecer preposições, artigos, ligações extremas viram manhãs.

Ingrid disse...

olhares de amanhecer em cores vivas..
beijo e lindo Domingo..

Lídia Borges disse...

Que amanheçam sempre belos... os olhares!

L.B.

Luiza Maciel Nogueira disse...

lembrei de Curumim chama Cunhatã que eu vou contar...poema cheio de amor! beijos

teca disse...

Uma suíte de tirar o chapéu... acompanhando os versos...

Beijo, poeta.

dade amorim disse...

Cada amanhecer é um repentino para o olhar.

Beijo, Assis.