domingo, 1 de janeiro de 2012

815 - fantasia breve para contemplação da aurora

o tempo é um cultivar-me de incertezas
acrescenta circunstâncias ao repentino
me desfaz de geometrias e geografias

o tempo me apascenta os quilômetros
faz das minhas retinas morada invisível
conduz todas as distancias ao pretérito

o tempo insurge levitação no crepúsculo
destila as incoerências, as contradições
armazena o singelo, os súbitos do porvir

10 comentários:

Rejane Martins disse...

A tempo e a hora, vim te agradecer as belas manhãs deste 2011, vagas e dobras dia afora, diáforas. Vim te desejar um 2012 e daí pra frente cismado de mundos, ungido de cantos. Por isso, por tanto, sinta-se abraçado já neste primeiro dia, Assis.

Eurico disse...

Que o tempo acrescente auroras mil, mil-e-umas no porvir,
para que, deleitados, nós possamos vir aqui...


Abraço fraterno.
e um 2012 cheio de felizes dias.

Vais disse...

Saudações, Assis
e o 815 inicia o 2012
Muito bonito

e por este ano continuará sendo um prazer acompanhar os mileum

te desejo um ano repleto das inspirações e de muitas delícias
tudo de bom pra você e querid@s

beijo e abraço

Everson Russo disse...

Que esse tempo dê o devido tempo pra sonhar...abraços de feliz ano novo...

MIRZE disse...

Contemplarei a aurora cultivando incertezas. O tempo, senhor da RAZÃO, traz também beleza para a VIDA.

"o tempo insurge levitação no crepúsculo
destila as incoerências, as contradições"

Belíssimo!

Beijo

Mirze

Lídia Borges disse...

Um belo poema para o dia de hoje. O tempo, essa "coisa" que nos domina e confunde.

Que o porvir lhe reserve frutos certos nas incertezas que o tempo cultiva.

Um beijo

dade amorim disse...

O tempo apascenta e inquieta. Mas vai sempre adiante.
Beijo pelo 815.

Tania regina Contreiras disse...

Cheguei antes que o primeiro dia do ano se finde. Lendo-te com o arrebatamento de sempre. Em 2012 continuo, porque continuarás...

Beijos,

Adriana Karnal disse...

contemplaste a aurora nesse ano novo? bem o fazes, com fantasia.Um ótimo 2012!

Cris de Souza disse...

o tempo é implacável!