domingo, 11 de março de 2012

885 - partita de entrega para girassóis e lilases


há impressões por toda a parte
atávicas digitais que me percorrem
o silencio corroído das maresias
aquele estranho trago das manhãs

há uma sombra indelével na tarde
que adormece o cérebro e o olhar
uma cisma de mulher que enfeitiça
os pés carcomidos pela esperança

a primavera se exaspera nos dentes
se insinua nos transeuntes coloridos
todas as estações em vivaldi ecoam
e somos nós dois a ansiar pasárgada

18 comentários:

AC disse...

Tão claro, tão bem urdido...!
Pasárgada pode esperar :)

Abraço

Tania regina Contreiras disse...

Belo, belo, poeta! Bom-dia...
Beijos,

Rejane Martins disse...

tua partita traz a força dos acordes iniciais, piano, baixo e guitarra, na contra-mola que resiste.
faroleiro de um segundo movimento, tua partita é canção-bandeira, banho de mar, beira de rio - torvelinho rotundo e lá vai fumaça.

Joelma B. disse...

são nossos anseios que determinam as estações...

beijinho de domingo, mestre Assis!

Nelma. disse...

Adorei já estou te seguindo beijos. http://segredosnoblog.blogspot.com/

Luiza Maciel Nogueira disse...

em brumas Pasárgada sempre aguarda o poeta

beijos

Everson Russo disse...

Que essa primavera venha e traduza em cores todos os sentimentos...abraços de boa semana.

Jorge Pimenta disse...

o quinto império nessas impressões que povoam todas as partes e, por exigência do arrebol, o todo. nem a sombra do pôr-do-sol incita ao esquecimento; é que esquecer significa ter presente tudo o que foi.

abraço, poeta!

dade amorim disse...

Pasárgada há de estar a caminho. A primavera já se faz anunciar.
Beijo.

dani carrara disse...

que delicado poema


um beijo

Daniela Delias disse...

Pasárgada é aqui!
:)

Bjo

Lara Amaral disse...

Lindíssimo!

Essas marcas invisíveis são as que mais nos corroem.
E o fecho ficou tão bom que entrei em looping no poema, gostoso demais de se ler.

Beijo.

MIRZE disse...

Todas as estações em VIVALDI vale a espera da ânsia de Pas[argada!

Beijo, poeta!

Mirze

Lídia Borges disse...

Um prelúdio de verdes aconteceres nuns "pés carcomidos de esperança"

Música para os meus ouvidos.

Um beijo

Centelha Luminosa disse...

É de dentro pra fora que as coisas acontecem!
Gostei demais do poema, porque meus olhos se encheram de poesia.


Gosta de dançar, Assis?

Feliz noite de domingo pra ti..

Bjoss

Aníssima Duarte* disse...

Ansiamos tanto em encontrar outros mundos, quimeras, utopias...Ah Pasárgada...Só esquecemos que dentro de nós mesmos há cores, flores, reino e trono...

Gostei muito da proposta do Blog e dos versos, carregados de muita sensibilidade e sabedoria, como me encantei!!
Um abraço poético!

LauraAlberto disse...

em espiral a memória, o presente, o passado

beijinho
LauraAlberto

Vais disse...

suite de danças, gestos e volteios para a luz, passos ao entardecer sob luminosidade violeta, ao som dos acordes giros e rodopios ou movimentos lentos envolvendo ao sabor do ritmo
belos belas
uma partita de entrega

beijo