quarta-feira, 28 de março de 2012

902 - poeminha para uns nadas acumulados


para Nina Rizzi

alguns são os muitos
eu quase nada,
peso morto,
nuvem, pó, poeira
resquício de ventania
sobrancelha, esguelha
olho de ausência
palavra vazia

18 comentários:

Zélia Guardiano disse...

São os nadas acumulados que pesam demais, meu querido Assis, grande poeta!!!
Abraço apertado

Everson Russo disse...

Vazio que preenche o peito...abraços.

Mirze Souza disse...

Eu acho que minha NININHA anda muito ocupada na África.

Nunca sua palavra será vazia,

Beijo

Mirze

Tania regina Contreiras disse...

Teus "nadas" são preciosos, Assis...Um pedacinho de seu "nada" é tão TUDO!
Beijos de bom dia!

Lídia Borges disse...

Tão musical!

Uns nadas acumulados não são um muito?


Beijo

Ira Buscacio disse...

acumulemos todos os nadas e teremos um prato cheio de poemas.
Êta, quantos nadas do bão!
bj grande, Assis

LauraAlberto disse...

o nada em nós tem o peso do universo

beijo

Vais disse...

ainda que...,Assis
escreve um poeminha de ajuntamentos que faz a Nina e você quandos, quases e tudos

beijos em vocês

Joelma B. disse...

nada: cúmulos de voz...

Beijinho com admiração, mestre Assis!

Daniela Delias disse...

Esse é de ler ouvindo "Nuvem Cigana". Lindo, lindo. Nina é tão, tão linda.
Bjo!

Domingos Barroso disse...

esse teu mundão de nadas [tantos céus e tantos horizontes]
nos eleva, irmão
...

forte abraço.

teca disse...

"Nada acumulado"... quemassa! Só tú Assis, que "enFrEITAS" nossa vida com seus versos...

Beijos.

Lou Vilela disse...

Em tempos de nadas, o olhar, um poema; em tempos de tudos, um par de tênis, outro olhar, a poesia.

dade amorim disse...

Nadas que fazem poesia.
Beijo.

Ingrid disse...

teus muitos são mais sempre ..
beijo Assis

Nina Rizzi disse...

vc sempre foi tudos.

Jorge Pimenta disse...

os pequenos nadas que, como o mito, se fazem tudo. o que é o universo senão poeira e conjugação?

abraço cósmico!

Viviane Peter Casser disse...

Lindo!!!!! :-)