sexta-feira, 23 de março de 2012

897 - canção de resposta aos intentos da paixão II


deixa-me sal em tua pele
feito ácido para o desejo
para que o querer ávido
alvoroce essa tua carne

deixa-me sal em nua pele
dando trato aos temperos
de língua, suor e calafrios
à sinuosa rota de esmeros

14 comentários:

Everson Russo disse...

Delírios e desejos...bom final de semana ...abraços.

Fred Caju disse...

Gosto e uso bastante construções como as usadas nos primeiros versos das duas estrofes. Mais um muito bom, Assis. Abraços!

Mirze Souza disse...

Sal como tempero.

Beijo

Mirze

Sr.Borges disse...

esse paladar em crua carne da palavra
reveste os desejos áridos ali plantados
àguas saturadas em permeios quentes

Abraços!

Lara Amaral disse...

Sal arde e cicatriza.

Muito bom!

Lídia Borges disse...

"Amo como quem morre"

E é tanto!

Um beijo

Lídia Borges disse...

Por percursos de fogo ao vento...

Um beijo

Daniela Delias disse...

O tempero da vida!

:)

dade amorim disse...

Os bons temperos da paixão.

Beijo, Assis.

AC disse...

Sempre bem, Assis, as palavras servem-no de forma admirável.

Abraço

Jorge Pimenta disse...

"deixa-me sal na tua pele"

sal e sol para o sul das minhas direções. ah, estas nossas viagens líquidas.

abraço!

Ira Buscacio disse...

A rota de esmeros... uma perdição!
Bj, Assis querido

Ingrid disse...

sal em suor..
escorrer de poros.
perfeição!
beijo e boa semana..

LauraAlberto disse...

o sal faz sempre arder as feridas, ainda que sejam só cicatrizes no presente

beijo