sexta-feira, 16 de março de 2012

890 - Partita de entrega para girassóis e lilases VI


Ainda não é primavera, mas eu a sinto
Como eflúvio que emana do teu passo
Nesta distancia de segredos e jasmins

Apóio olhos na fidalguia do teu rosto
No solene talhe das maçãs a evocar
O delgado, obliquo, o sinuoso mirar

Ainda não é primavera, e eu me repito
Na estranha confluência dos súbitos
Da paixão que impera sobre o silencio

10 comentários:

Everson Russo disse...

Ainda não é primavera, mas eu já acredito nas cores do amor que ao certo com ela virão...abraços de bom final de semana.

MIRZE disse...

A primavera já chegou e você nem percebeu. Tal o solene talhe da maçã, evoque mais.

Beijo

Mirze

Tania regina Contreiras disse...

...distância de jasmins! Poeta, querido, essa série vem me arrebatando: lindos!!!

Beijos,

Jorge Pimenta disse...

como a meteorologia dos deuses é distinta das estações dos homens... do arrepio que enlouquece a febre ao fogo que enrijece os músculos. qual é o lugar de cada uma das nossas primaveras, a-final?
abraço, poeta!

LauraAlberto disse...

não é melhor do que a primavera num poeta

beijinho
LauraAlberto

Daniela Delias disse...

A paixão aqui antecipa a primavera...
Bonito, bonito
Bjo
:)

Lídia Borges disse...

A primavera entra-nos em casa sempre que uma porta se abre à frescura da sua face.


Um beijo

dani carrara disse...

orvalho que aproxima céu e terra, beleza.

dade amorim disse...

A primavera não depende da estação.
Beijo.

Cris de Souza disse...

Deu pra sentir o perfume...