sábado, 17 de março de 2012

891 - canção de resposta aos intentos da paixão


vou te inundar com o silencio
das minhas palavras
germinar em cada ponto do
teu corpo um jardim de sílabas
tu hás de florir para o verbo
como pétalas para o horizonte

hei de instaurar sede de consoantes
alvoroçar teu sexo com pronominais
instalar o desatino nos teus seios
numa gramática de desassossego

teus lábios ganharão reticencias
numa linguagem de lenta intromissão
as tuas espáduas serão o estuário
de conjugação das naus desavisadas

assim imbuído de solenes princípios
vou nominar teus gestos em festa
tu serás alegoria, metáfora, hipérbole
o moto-contínuo para toda a poesia
a estranha carne que me deixa desperto

14 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

Belíssimo demais Assis, deixou-me atônita nesta beleza

beijos

Fred Caju disse...

E o verbo fez-se carne...

Jorge Pimenta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Pimenta disse...

assis,
a poesia mexe, sente, respira, toca, seduz, acalenta e arranca. é esta rede acidulada, com olhar de mulher, que acrescenta todas as figuras de retórica ao corpo. e quem a lê é todo alvoroço e inquietação, pura gramática do homem.
do mais bonito alguma vez lido!

abraço!

Everson Russo disse...

Que essa paixão inunde o silencio da alma..abraços.

Daniela Delias disse...

Reinventando a língua...

MIRZE disse...

Um poema tântrico!

beijo

Mirze

Lídia Borges disse...

De uma intensidade que cala este canto de intensões cujo refrão faz rimar ausência com desejo.

Uma poema que cativa e inebria.

Um beijo

dade amorim disse...

Tão lindo, Assis, esse poema de tanto amor.
Beijo beijo.

teca disse...

Uffff... balancei... um cântico contínuo...

Beijo.

Vais disse...

Ei, Assis,
sem igual, sem igual

'a estranha carne que me deixa desperto'

dá vontade de derreter diante de uma canção assim, é como se nada mais importasse, afinal, um delírio, um deslumbramento, um alumbramento, uma doideira, êxtase, paixão, paixão

lindo em demasia

beijos altamente admirados

Andrea de Godoy Neto disse...

poema que se alastra...fogo, poesia, paixão...

cheguei aqui e fui direto a ele...

agora eu vou ali, respirar...antes de ler os outros

beijooo

LauraAlberto disse...

uma mulher que se fará poema

beijo

Cris de Souza disse...

Esse poema é deslumbrante!